Unsplashed background img 1

Santuário de Elefantes em Chiang Mai + Muay Thai, Tailândia

Escrito por -


Previously on S2S's Thailand Trip

No post anterior estávamos em Bangkok perdendo nosso tempo fazendo compras. Ideia de jerico. Você pode ver o post clicando aqui.

Além disso, pode ver o índice de posts sobre a Tailândia clicando aqui.

A viagem foi em Janeiro de 2017.


Chegada em Chiang Mai no dia anterior


Chegamos em Chaing Mai e pegamos um Uber para o Rainforest Boutique Hotel. Jantamos no próprio restaurante dele.

Que banheiro estranho com layout esquisito, eu não tô legal.


Sobre o hotel, é bem simples, e bem condizente com o preço pago. Pegamos uma suíte chamada "Coco Deluxe" (risos). Como eu adoro um negócio mal feito, vou só comentar sobre o banheiro, que é a coisa mais esquisita que já vi na vida. Você entra nele e tem o chuveiro. E daí tem um box com a privada. É o inverso! Bizarro. Se você quiser só dar uma cagada e alguém tiver tomado banho antes, tem que passar por uma área molhada. Não é à toa que se chama "Coco Deluxe". 
Dica: leve repelente de tomada. Mosquitos por todo canto!

Sweet dreams. Acordar muito cedo para o passeio do outro dia!

Dia #4 - Elefantes e Muay Thai

Caminho até o Santuário de Pau-de-arara


O passeio do dia era o Elephant Jungle Sanctuary! Previamente reservado por um e-mail no site deles, nos buscaram às 6:30 da manhã. Bem cedinho mesmo. Tava fazendo até frio, acredite se quiser.

Antes que os ativistas protetores dos animais cheguem falando que somos uma seita a mando de lúcifer para incentivar os maus tratos aos animais, nós pesquisamos bastante e achamos que este passeio trata bem dos bichões. Não subimos em suas costas. Apenas ficamos cuidando deles - dando comida, banho e afins. Então acredito que seja uma boa! Não boto minha mão no fogo, pois as aparências podem-nos enganar. Contudo, tudo parecia estar bem com os bichões (nota-se que não refiro a eles como bichinhos, pois não só seria muita injustiça, visto o tamanho e o peso das criaturas, como também seria errado).

A ida foi de pau-de-arara.  Encontramos esses dois americanos descendentes de indianos e adoramos os dois!



Passamos por caminhos muito lindos. Chiang Mai é em uma região montanhosa, bem diferente da região de Bangkok, e isso muda completamente o cenário. O Elephant Jungle Sanctuary ficava em uma região alta, então fomos subindo e subindo.

Elephant Jungle Sanctuary



E finalmente chegamos lá! De longe, já vimos alguns elefantes. Estavam sendo alimentados (mas já?). Nos emprestaram uma Karen T-Shirt, essa roupa típica que todos estão usando nas fotos, que aparentemente é uma espécie de vestimenta para lidar com elefantes, e nos deram algumas instruções. Primeiro alimentaríamos os bichos (que, importante notar, já estavam sendo alimentados), depois daríamos um banho de lama e, por fim, um banho no rio. Após tudo isso, teríamos um almoço.



Pois bem, começou a primeira parte: dar comida! Uma parte um tanto divertida! Presumo que seja também algo muito agradável para os elefantes, que não paravam de comer por um segundo sequer, e, como se não bastasse, estávamos dando mais comida para eles. Nos deram um balde com cana, mamão e bananas. Em nossas roupas havia um bolso grande em que podíamos colocar as comidas para dar para eles. Sério, isso foi muito engraçado. Você tira uma banana do bolso e aponta, o elefante já vem com a tromba dele e, com estilo e estratégia, captura a comida de sua mão, envolvendo-a. Daí a gente percebe que, para eles, uma tromba é como se fosse uma mão bastante flexível.



Aparentemente, a comida que mais os agrada é a banana, pois pedaços de cana há por todo lado, que eles comem só quando não há nada mais para comer, e porque, bem, por algum motivo, eles precisam ficar comendo o tempo todo, sem parar. Contudo, quando veem uma banana, fazem festa. Engana-se, inclusive, quem imagina que eles ficam esperando. São espertos. Já direcionam a tromba para o bolso da roupa. Sabem que tem coisa ali. Muito cuidado nessa hora para não pegarem algo que não devem.

Daí passamos para o round 2, a parte da lama. Ela é bastante fria, além de realmente preguenta, confesso que pessoalmente achei um pouco nojento e não quis participar muito disso. Consistia em tacar lama nos elefantes para hidratá-los. Parece algo necessário mesmo, tanto que eles gostavam. Até se deitavam para que ficasse mais fácil.

Por fim, o banho no rio. Essa, sem dúvidas, foi a maior diversão. Todo mundo com baldes jogando água nos elefantes. E o ser humano é foda né: óbvio que começou uma guerrinha de água, todos atacando uns aos outros com os baldes de água "sem querer querendo". Seria excelente se não fosse uma menina possuída pelo lado escuro da força que não parecia interessada em dar banho nenhum nos elefantes at all. Seu único interesse era tacar água na sua cara e depois rir de você. Falta de chinelo é um problema sério nesses últimos dias.




Finalizado o passeio, ofereceram-nos o almoço. O que não imaginávamos era que seria somente um macarrão um pouco sem graça e uma melancia. Não precisa dizer que havia pimenta, né? Eu tava varado de fome, então eu comi tudinho e ainda repeti. Também deram a cada um uma bolsinha artesanal (leia-se: cada uma das meninas ganhou duas bolsinhas).

Dica #4.1: No Elephant Jungle Sanctuary havia uma feirinha de cachecóis artesanais que pareciam feitos pelo pessoal lá mesmo. Eles são muito bonitos, então a vonade que dá é a de comprar todos. Só que com certeza não são artesanais coisíssima nenhuma, vieram da china, pois achamos muitos parecidos em lojas no meio da cidade.
Curiosidade #4.1: Primeiro contato com isso. Estranhamente, muitos banheiros da Tailândia não possuem descarga. Normalmente existe um balde ao lado da privada que deve ser enchido e despejado na privada. Meio ugh. Compreensível, de toda forma, pois estávamos no meio do mato, porém descobrimos que mesmo na cidade existem lugares assim. Sempre bom relembrar que a Tailândia é um país bem pobre.

Voltamos para o hotel e todo mundo decidiu descansar. Estavam todos muito exaustos. Bem, eu não estava. Mas os pamonhas dos coleguinhas só queriam saber de dormir. Quanto às grávidas, acho OK. O que não imaginava é que, depois, estaria agradecendo as grávidas por pouparem minhas energias vitais! Que sorte.

Taphae Boxing Stadium



Anoiteceu e fomos ao Taphae Boxing Stadium. Se você vai à Tailândia, precisa ver Muay Thai. Pareceu-me um negócio bem real, inclusive o lugar era uma biboca bem esquisita, bem a cara do que seria a Tailândia para tailandeses, essa escondida dos turistas. Inicialmente, fiquei mega assustado porque botaram criancinhas pequetitas para lutar, achei bizarro. Depois, colocaram adultos, e houve até uma luta feminina. Para quem gosta disso, acho que é um prato cheio. Ah, lá tem algumas comidas também, porém achei tudo ruim. Coma em outro lugar antes.