Unsplashed background img 1

Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú: Um dia sem Cataratas

Escrito por -


Visitando lugares em Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú que não tenham nada a ver com as Cataratas. O que fazer? Veja neste post!
Esse foi um dia em que a gente acordou e bateu a louca: que tal fazer a maior quantidade de coisas possível um dia? Challenge accepted! Não que a gente tivesse planejado fazer tanta coisa... Em verdade, não sabíamos que era tanta coisa. Nossos planejamentos são super sem noção e sempre levam em consideração mais do que queremos fazer, daí raramente conseguimos fazer tudo. Nem nos frustramos com isso. Mas, neste dia, aparentemente utilizamos pegamos um Vira-Tempo da Hermione emprestado e deu tudo certo!

Importante mencionar que fizemos tudo de carro, e por isso deu tempo. É o transporte que sugerimos para a região.

Para outros posts sobre a região e para um post cheio de dicas gerais, acesse o post principal aqui.

Vamos ao roteiro!

Hito de las Tres Fronteras

Fonte do Hito de las Tres Fronteras, no lado argentino.
A fonte do Hito de Las Tres Fonteras. 
Assim que acordamos, partimos direto para o Hito de Las Tres Froteras, que é o Marco das Três Fronteiras no lado argentino. Que tem de tão especial? É precisamente no ponto em que os rios Paraná e Iguaçu se cruzam, formando uma tríplice fronteira entre o Brasil, o Paraguai e a Argentina. Tá, pra você talvez isso não seja nada demais, mas, para mim, foi legal estar num lugar em que você vê três países ao mesmo tempo!

Pirâmide no Hito de las Tres Fonteras, o marco das três fonteiras no lado argentino.
Pirâmite no Hito de las Tres Fonteras.
A vantagem do lado argentino com relação ao brasileiro é que é totalmente gratuita. Se é de graça, a gente que é murrinha vai, né? Lá é bem simples de infraestrutura, mas você tem:
  • Uma fonte bacanuda que funciona sincronizada de tempos em tempos com uma música, sendo que, durante a noite, ocorre com um show de projeções (que vale muito a pena, falaremos mais ao final do post);
  • Uma pirâmide com as cores azul e branco dos hermanos;
  • Lojinhas de lembranças e doces (como os famosos alfajores argentinos, por exemplo); e
  • Também um monumento meio encardido com as três bandeiras, que fica um pouco escondido, tem que brincar de Tomb Raider para achar, mas basta seguir a rua atrás das lojinhas. 

Almoço no Il Fratello

Espelho no restaurante Il Fratello.
Um espelho no restaurante Il Fratello. Momento de reflexão.
Puerto Iguazú é conhecida por um contraste: pela simplicidade na cidade e pela sofisticação das comidas. Assim, após sairmos do Hito, fomos ao restaurante Il Fratello, que, como o nome denuncia, é italiano. Comi um risoto ao molho funghi e Liliam, fitness magrinha como ela é, comeu uma salada. Ambos estavam ótimos!


Comida no restaurante Il Fratello: uma salada e um risotto funghi.
Liliam fitness com saladinha; Igor gordo com risoto funghi.
Mas o que foi se tornando a paixão de nosso paladar apurado de bebês de 8 meses de idade foram as águas saborizadas, que provamos pela primeira vez nesse restaurante, mas estão em todo lugar. Industrializadas, são tipo água mesmo só que com algum gostinho de refresco. Pense num Aquarius Fresh ou H2OH, mas sem gás. O mais comum e o que mais curtimos foi o de pomelo, que é uma fruta cítrica de que, honestamente, nunca havia ouvido falar antes.


Museu de Cera Dreamland

Grid com celebridades da TV e o Einstein no Museu de Cera Dreamland de Foz do Iguaçu.
Celebridades da TV + Eistein.
Atravessamos para o Brasil e fomos conhecer o Museu de Cera Dreamland, que foi o primeiro museu de cera em que entramos. São três seções: o Museu de Cera, o Vale dos Dinossauros e o Maravilhas do Mundo. Só visitamos o primeiro porque era o único que nos interessava.

Só galera boa da música. E um gênio, bilionário, playboy e filantropo no meio da montagem.
Ao mesmo tempo em que valeu a pena, confesso que, se eu fosse o Tom Cruise, entraria com um processo por associarem minha imagem com aquele boneco vesgo e esquisito que encontramos lá! O museu é muito bom e divertido, principalmente se for sua primeira vez em um deles, a maioria dos bonecos são muito bem feitos e parecem reais mesmo, porém alguns bonecos são claramente meio low budget.

Galera dos esportes.
O Museu de Cera é dividido em várias partes, todas elas ambientalizadas de acordo com a temática. Tem uma parte ao estilo de discoteca com celebridades da música; depois com celebridades do cinema e da TV; cientistas famosos; uma sessão inteira de Star Wars e outra de Harry Potter; por fim, uma parte de desenhos animados. Aí que é aquele momento de tirar aquela sua selfie bacana com Woody do Toy Story e com o Clint Eastwood... ao mesmo tempo!

Alfred Hitchcock e alguns filmes.
Passado e Futuro. Velho Oeste e carros que se transformam!

Templo Budista

Buda inclinado no Templo Budista de Foz do Iguaçu.
Um buda inclinado no Templo Budista.
O Templo Budista de Foz do Iguaçu é um destino obrigatório para quem ainda não visitou nenhum templo lá no oriente mesmo, porque devo dizer: é bem parecido. Não tínhamos ideia de que estaríamos na Tailândia um ano depois vendo os originais, e gostamos muito. Apesar de ser longe do centro, é bem grande, possuindo jardins, um enorme corredor de budas, tal como é comum encontrar, por exemplo, na Tailândia, e um altar com diversas estátuas dos budas, diversas encarnações daqueles que, no nirvana, despertaram plenamente a verdadeira natureza dos fenômenos, o que inclui, naturalmente, Siddharta Guatama.

Corredor de budas no Templo Budista de Foz do Iguaçu.
Corredor de budas no Templo Budista de Foz do Iguaçu.
Dica: leve repelente, muitos insetos estão prontos para te comer enquanto você tenta ficar paradinho em meditação buscando o nirvana!
Jardim no Templo Budista de Foz do Iguaçu.
Jardim no Templo Budista de Foz do Iguaçu.
Uma coisa legal do templo é que, ao fundo, também se tem uma boa visão da Ciudad del Este, no Paraguai.

Duty Free Puerto Iguazú

No lado de fora do Duty Free Puerto Iguazú.
No lado de fora do Duty Free Puerto Iguazú.
Na volta para a fronteira com a Argentina, paramos no Duty Free de Puerto Iguazú. É tipo um shopping, e fica antes da imigração, então você pode visitar livremente pelo Brasil. Achamos bastante bonito tanto por dentro (não tiramos fotos, não podia) quanto por fora, mas foi só isso, pois não encontramos nada que valesse nossos pesos argentinos! Mesmo assim, vale a visita.

Letreiro no lado de fora do Duty Free Puerto Iguazú.
Letreiro no lado de fora do Duty Free Puerto Iguazú.
Dica: quando entramos, ganhamos um dinheirinho fake para jogar no Casino Iguazú, o que foi ótimo. Não temos lá muita coragem de jogar dinheiro fora nas máquinas, então, com esse crédito de mentirinha, pudemos experimentar a sensação no outro dia!

Hito de las Tres Fonteras durante a noite

Espetáculo de projeções na água no Hito de las Tres Fonteras.
Espetáculo de projeções na água no Hito de las Tres Fonteras.
Só passamos em nosso hotel para tomar banho e trocar de roupa, e saímos novamente.

Como disse lá em cima, um dos motivos por que o Hito de las Tres Fronteras no lado argentina vale a visita é o show de projeções durante a noite. Lembrando que é de graça. E superou nossas expectativas! Com música ao vivo, as águas são disparadas em sincronia com a música, e projetores jogam imagens nas águas, contando a história do lugar desde a época em que chegaram os colonizadores. Um espetáculo só.

Icebar Iguazú

Lado de fora do Icebar Iguazú.
Lado de fora do Icebar Iguazú.
Terminamos a nossa jornada indo ao Icebar Iguazú, na Argentina. Chamou-nos muito a atenção por ser um bar de gelo, em que a temperatura chega até a -10ºC, coisa que nunca visitamos antes. Dado que o calor estava dominando, a gente definitivamente não via a hora de entrar nele!

Quando você chega, tem entradas programadas de tempo em tempo na sala gelada, então você tem que comprar um ingresso agendado para um horário e esperar. Dessa forma, aguardamos do lado de fora no bar externo, que é bem rústico e aconchegante, com várias luzes coloridas de decoração penduradas em meio às árvores (o que me faz lembrar o Natal, adoro). Achamos muito agradável. Pedimos uma milanesa, que foi a nossa janta. Tivemos tempo o suficiente até o nosso horário agendado para aproveitar o lugar.

Sofá de gelo no Icebar Iguazú.
Sofá de gelo no Icebar Iguazú.
Assim que chegou o nosso horário, primeiro fomos colocados em uma sala para vestirmos os casacos, que são grossos, grandes e pesados, para aguentar bem a temperatura. Após isso, fomos a uma sala de temperatura média (0~10ºC), onde assistimos a um vídeo. A sala também tem a função de te fazer acostumar com o frio, para que não caia em um ambiente gelado do nada.

Ao final, você entra, de fato, na sala gelada. E é gelada meeesmo! Tudo feito de gelo: tem um sofá, banquinhos e esculturas geladas. Bom para tirar fotos. Você pode pedir drinks e tomar a vontade pelo tempo em que estiver lá, que é limitado. Até mesmo os copos de drinks são feitos de gelo. Infelizmente dura muito pouco, quando você tá ficando empolgado vem o coito interrompido e tem que sair.

Interior do Icebar Iguazú em Puerto Iguazú.
O bar de gelo em Puerto Iguazú é cheio de esculturas!
Saímos e estava uma bela de uma chuva caindo, boa para dar uma refrescada no ambiente - não seria muito legal voltar para um calor capetônico. E foi assim que terminou o nosso primeiro dia na tríplice fronteira, em que fizemos tanta coisa que socorro, não sabemos muito bem como foi isso! Excelente dia!