Unsplashed background img 1

Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú: Roteiro de 5 dias + Dicas (FAQ)

Escrito por -

Cataratas del Iguazú, Misiones, Argentina. Uma visão da trilha inferior. Entrada do Parque General San Martín, em Mendoza.
Dicas e mais dicas sobre um roteiro de 5 dias em Foz do Iguaçu e Puerto Iguazu.
Nossa viagem a Foz do Iguaçu/Puerto Iguazú derivou de uma empolgação da Liliam com as cataratas. Ela havia as visitado anos antes rapidamente por conta de um congresso e queria muito voltar para explorar mais. Eu pensava, "mas são apenas cachoeiras, isso a gente tem por aqui", e imaginava que não seria nada demais. Ocorre que, ao ver as ditas cujas com meus próprios olhos, meu desdém bateu nas quedas d'água e voltou... em forma de emoção. É de se vomitar arco-íris, gente!

Cataratas del Iguazú, Misiones, Argentina. Uma visão da trilha inferior.
Uma visão da trilha inferior do lado argentino.
Sabe aquele lugar que trava a tua garganta? Que te faz ficar pensando "sério mesmo que esse lugar é real?". Em meio às quedas d'água, afoga-se ante tanta beleza. E afoga-se mesmo: um vapor de água vai direto na tua cara e é, literalmente, de perder o fôlego! O melhor: pertinho da gente. Não é um destino para se tirar um escorpião do bolso e o custo/benefício é muito bom, afinal, as Cataratas são umas das sete Novas Maravilhas da Natureza do mundo inteiro, e compõem um dos pontos do país mais visitados por turistas estrangeiros, tamanha é a sua valorização. Parece tão coisa do outro mundo que foram utilizadas para filmar Wakanda, o mundo do Pantera Negra, da Marvel.

Liliam fazendo pose na trilha inferior das Cataratas de Iguazú, lado argentino.
Visitar a cidade também significa ter a oportunidade de conhecer uma tríplice fronteira: Brasil, Argentina e Paraguai. Existem atrações nas três cidades de cada país: em Foz do Iguaçu, em Puerto Iguazú e em Ciudad del Este. É muito bacana ver que culturalmente as três cidades mostram cenários distintos, muito embora estejam tão próximas... De um lado o povo brasileiro hospitaleiro como é; de outro lado o povo argentino, também simpático, e bom no tango; e, do outro, além da tal da Ponte da Amizade, temos... muamba.

Tucano no Parque das Aves, Foz do Iguaçu.
Liliam e o tucano no Parque das Aves, Foz do Iguaçu,
Dê uma chance para lugares turísticos do Brasil que não são praia, faça um favor a si mesmo e visite Foz. Vamos te convencer disso em 3.. 2.. 1. JÁ!

Não deixe de ver o vídeo no topo do post. Ele é também sobre um passeio a Mendoza, que você pode conferir aqui, que fizemos na mesma viagem, mas a maior parte dele foi em Foz.

Como de praxe, vamos ao FAQQNNNF.

FAQQNNNF - Perguntas Frequentes Que Ninguém Nunca nos Fez

Vale a pena visitar Foz do Iguaçu ou Puerto Iguazú? O que há pra fazer?

Uma típica visão a trilha do lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu.
Uma típica visão a trilha do lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu.
Se eu estou fazendo esse post desse tamanho, é claro que vale! Não perderia meu tempo para o contrário. As coisas para fazer estão dispostas pelas três cidades, então vamos lá:

Foz do Iguaçu
Puerto Iguazú
  • Ver as Cataratas del Iguazú no lado argentino, em que é possível ver as quedas mais de perto, e também ficar em cima da Garganta del Diablo.
  • Passeio Luna Llena: ver o luar nas Cataratas do Iguaçu.
  • Congelar-se todo no Icebar Iguazú, um bar de gelo.
  • Visitar o Hito de las Tres Fronteras no lado argentino, que é gratuito e tem um show de projeções na água durante a noite.
  • Conhecer um cassino, o Casino Iguazú.
  • Fazer compras no Duty Free Shop Puerto Iguazú argentino, que fica na fronteira. 
Ciudad del Este
  • Fazer compras na cidade.
  • Realizar um city tour.

Como chegar?

No Icebar Iguazú, em Puerto Iguazú. É um bar de gelo congelante!
No Icebar Iguazú, em Puerto Iguazú. É um bar de gelo congelante para se sentir a Elza!
Você pode pegar um vôo, frequentemente com escala em Curitiba, um ônibus ou, em um road trip pelo Paraná, chegar lá de carro. É tranquilo e as opções são vastas.

Ah, se alguém conhecer técnicas de teletransporte, por favor, me ensine.

Como é o clima?

Comportas abertas na Usina Itaipú.
Tava chovendo loucamente no dia da Usina Itaipú. Ruim? Sim. Vantagem? Vimos as comportas abertas!
O clima é inacreditavelmente úmido, o que intensifica as temperaturas. Visitamos em Março, o que ainda é o verão, portanto, a sensação térmica estava de matar, além de muito abafado! Também choveu com frequência, o que atrapalhou um pouco alguns passeios (muito embora tenhamos tido a oportunidade relativamente rara de ver as comportas de Itaipú abertas, conquista desbloqueada!).

As chuvas estão distribuídas bem ao longo do ano, então qualquer época é boa para o parque. Contudo, vale informar que as épocas mais secas são em junho, julho e agosto. De toda forma, sempre leve a sua capa de chuva amarela para uma bela representação de um episódio do Pica-Pau.

Quando ir?

Uma visão da trilha inferior das Cataratas del Iguazú, na Argentina.
Uma visão da trilha inferior de Wakanda, digo, das Cataratas del Iguazú, na Argentina.
Foz do Iguaçu é um destino para qualquer época. Fomos em Março e as chuvas atrapalharam um pouco. Ficávamos com o roteiro do dia em aberto, e decidíamos o que fazer de acordo com o céu no dia, haha! Além disso, pode ser que a Garganta del Diablo feche se estiver com água demais. Portanto, recomendamos épocas mais secas, como junho, julho e agosto.

Considere visitar a cidade na época da Lua Cheia, assim você pode fazer um passeio noturno nas cataratas. Tem tanto no lado brasileiro quanto no argentino. Fizemos no lado argentino e recomendamos demais, muito embora tenhamos tido um azar que só de chegar na Garganta del Diablo e passar uma nuvem na frente da Lua cheia. Essa nuvem permaneceu até que o guia nos mandou ir embora (momento em que a Lua apareceu novamente). É uma safadeza oculta da pior espécie

É seguro?

Um monumento paraguaio próximo à ponte da Amizade.
Um monumento paraguaio próximo à Ponte da Amizade.
Achamos Ciudad del Este bizarra. Tem pessoas armadas nas ruas e com fuzis muito tensos. Parece que tá jogando Grand Theft Auto. Uma sensação de hostilidade a todo o momento, mas vale informar que absolutamente nada nos ocorreu. Acho que a sensação é meramente psicossomática. Só tomar um pouco de cuidado, como de habitual.

Fora isso, Foz é uma cidade típica do Brasil, mas não tivemos nenhum problema. Já Puerto Iguazú é tranquila até demais. Um homem vai devagar... Um cachorro vai devagar... Um burro vai devagar... Devagar.. as janelas olham. Drummond falava de uma cidadezinha qualquer brasileira, mas seus versos serviriam bem para essa argentina. Zero preocupações.

Quantos dias seriam o ideal?

Show de projeções nas águas no Hito de las Tres Fronteras, no lado argentino. É di gratis.

5 dias seriam perfeitos para conhecer tudo o que tem por lá.

A única coisa que eu imploro aos leitores é que vejam, pelo menos, as Cataratas do Iguaçu pelas duas perspectivas: a argentina e a brasileira. As duas valem a pena. Então o mínimo que você deveria passar ali são dois dias, dado que não dá pra ir de um para outro no mesmo dia, são bem longes.

Onde se hospedar?

Cataratas del Iguazú no lado argentino com arco-íris.
Pintando um arco-íris de energia nas Cataratas del Iguazú, lado argenino.
Você pode se hospedar tanto em Foz quanto em Puerto Iguazú. Foz é uma cidade bem evoluída e se parece com uma capital, fornecendo uma infraestrutura muito boa. Puerto Iguazú, por outro lado, é uma típica cidadezinha tranquila. Em Foz, é melhor ficar no centro, por questões de localização, mas você também pode escolher lugares mais afastados e rústicos. Já em Puerto Iguazú, se estiver de carro, recomendamos se hospedar próximo à rodovia.

O que nós recomendamos? Hospede-se na Argentina, em Puerto Iguazú. Além de sempre ser uma experiência bacana ficar em um outro país com uma outra cultura, o clima de cidade pequena compensa muito para quem quer paz. Além disso, os restaurantes argentinos são ótimos e estar do lado argentino facilita muito sair para jantar. Acho que a comida brasileira é a melhor do mundo, mas comemos ela todos os dias, não é? Vale a pena variar. Em todo caso, é muito tranquilo atravessar a fronteira, desde que não seja horário de rush.

Uma visão do pôr-do-sol no Lago Itaipú, passeio Porto Kattamaran.
Uma visão do pôr-do-sol no Lago Itaipú, passeio Porto Kattamaran.
Hospedamo-nos 5 noites no Hotel Marcopolo Suítes Iguazú, em Puerto Iguazú, que foi muito bom e bem localizado se você tiver com carro. 

Nossa última noite foi no Hostel Paudimar Campestre, em Foz do Iguaçu. Reservamos um chalé lindo lindo lindo no meio do mato. Rústico, muito agradável. O hostel é uma graça. O objetivo era descansar e entrar em contato com a natureza. Super zen, se não tivéssemos sido comidos por insetos. Foi uma armadilha capetônica, porque nunca vimos tantos mosquitos em um só lugar. Ficamos meia hora matando mosquito e não parava de surgir mais. Ligamos o ar-condicionado no máximo e dormimos 100% cobertos. Mesmo assim, acho que me foi sugado mais sangue do que seria em pelo menos 10 visitas a um hemocentro para doação! E fiquei coçando por 7 dias e 7 noites seguidos. Até recomendamos o hostel, mas leve aqueles repelentes de mosquitos.

Para entrar na Argentina e no Paraguai precisa do quê?

Passporte e RG
Leve seu passaporte ou seu RG.
Tanto para a Argentina quanto para o Paraguai, então basta ter um R.G. (com data de emissão nos últimos 10 anos e em bom estado de conservação) ou um Passaporte. Nada mais.
Importante: Carteira de Motorista (C.N.H.) e Carteira de Trabalho não são aceitos!
Na maioria das vezes, usei o passaporte, mas o melhor é usar o RG mesmo. Sério, meu passaporte tem tanto carimbo da Argentina que pensei que as folhas fossem acabar só de entradas e saídas da terra dos hermanos! É como se eu tivesse uma coleção de fã! 
Dica: se você entra na argentina com um documento, você tem que necessariamente sair com o mesmo. Ou seja, não adianta entrar com o passaporte e querer sair com o RG. Deixamos o passaporte no cofre do hotel e nos demos muito mal com isso, tivemos que voltar após pegar um fila enorme.

E para Ciudad del Este?

Os lugares aceitam reais, dólares americanos ou guaranis. Também frequentemente aceitam cartões de crédito.

Como é a internet?

A borboleta 88. Cataratas do Iguaçu, lado brasileiro.
A borboleta 88. Cataratas do Iguaçu, lado brasileiro.
Você encontra Wi-Fi nos hoteis e restaurantes, mas a boa notícia é que pelo menos a nossa internet da Claro funcionou em território argentino e paraguaio sem grandes problemas!

Como se locomover?

Templo Budista, em Foz do Iguaçu.
Templo Budista, em Foz do Iguaçu.
Você pode usar táxi (caros), serviços de transfer ou até mesmo ônibus. Existem inúmeras linhas de ônibus dentro de Foz do Iguaçu, inclusive para visitar as Cataratas do lado brasileiro. Também existe ônibus para visitar Puerto Iguazú, oferecidas pela companhia Crucero del Norte, cujo destino é a rodoviária de Puerto Iguazú, de onde é possível pegar ônibus para as demais localidades da cidade. É um processo demorado, até porque envolve imigração, mas possível e barato.

Recomendamos fortemente alugar um carro. Primeiro porque as distâncias são bem grandes, e se quiser explorar muito em pouco tempo, vai otimizar bem. Segundo porque fica fácil atravessar a fronteira, desde que não seja em horário de pico.

Dica: cuidado ao atravessar a fronteira em horários de pico de dias de semana, como por volta das 8h da manhã, ou no horário do almoço, ou pelas 6h da tarde. A fila de carros é imensa. Tivemos a oportunidade de pegar o engarrafamento e digo: não é legal!

Como faz para dirigir na Argentina? É tranquilo?

Não tenha medo de dirigir na Argentina, o trânsito lá é muito de boas. Porém esteja ciente de que é necessário comprar um seguro obrigatório, que é a Carta Verde. Algumas seguradoras emitem (desde que seja dia útil), mas você pode obter neste lugar aqui, cujo atendimento é todos os dias, das 7:30 às 18:00, sendo necessária uma autorização emitida pela locadora, caso o veículo seja alugado. 

O Seguro Carta Verde é obrigatório e fornece proteção de danos contra terceiros, danos corporais causados a terceiros e honorários de advogado para o segurado e qualquer custo judicial.

Importante mencionar que a Carta Verde não fornece proteção de danos do próprio veículo. Além disso, os seguros CDW/LDW oferecidos pelas locadoras não cobrem sinistros ocorridos em solo internacional. A nossa ideia foi, portanto, recusar os seguros de proteção de danos do próprio veículo na locadora e  complementar com o seguro da Mastercard, que serviria tanto no Brasil quanto na Argentina. Fica a dica.

E para dirigir no Paraguai?

Passarela de pedestres na Ponte da Amizade, que liga o Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, no Paraguai.
Passarela de pedestres na Ponte da Amizade, que liga o Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, no Paraguai.
Não é recomendado, a não ser que queira perder o seu carro pra sempre, risos. Inclusive a Hertz, com quem alugamos carro, não autorizava andar pelo Paraguai.

As muambas do Paraguai valem a pena?

Liliam após encontrar os shampoos para cabelos vermelhos, e baratos! Huge success!
Já foram mais valiosas. Hoje em dia não está tão barato assim, mas ainda tem uma coisa ou outra que vale a pena, sim. Liliam, por exemplo, achou um shampoo para cabelos tingidos de ruivo, por exemplo, em um preço imbatível!

Que moeda levar para Puerto Iguazú?

Casino Iguazú. Uma ótima oportunidade para se conhecer um cassino, é muito belo por dentro.
Casino Iguazú. Uma ótima oportunidade para se conhecer um cassino, é muito belo por dentro.
Leve reais e os troque por pesos argentinos. O melhor lugar para trocar é no mesmo lugar onde se obtém o Seguro Carta Verde.

É comum que os estabelecimentos aceitem reais, mas eles consideram uma taxa de conversão bem ruim. Alguns aceitam cartão. 
Importante: Vale ressaltar que o parque das Cataratas del Iguazú (lado argentino) somente aceita pesos argentinos.

É caro?

Coati esperando para receber alimentos. Mas não os alimente, a não ser que queira perder um dedo na melhor das hipóteses!
Foz do Iguaçu é um destino barato, então pode comemorar porque não é necessário vender um rim para conhecer as cataratas!

Cataratas: devo ir no lado argentino ou no brasileiro?

Garganta do Diabo vista do lado brasileiro.
Garganta do Diabo vista do lado brasileiro.
Por favor, visite os dois. São experiências complementares.

No lado brasileiro, você se locomove até o ponto das cataratas em um ônibus interno, enquanto no lado argentino é em um simpático trem. A maior parte das quedas estão localizadas no lado argentino, assim, no lado brasileiro, você as vê de longe e de forma ampla, enquanto no lado argentino você as vê de perto. Ambos os lados possuem passeio de barco, recomendadíssimo. Também os dois lados oferecem o passeio da Lua Cheia. Por fim, no lado brasileiro você vê a Garganta del Diablo de lado, enquanto no lado argentino as vê de cima.


Lado brasileiro Lado argentino
Locomoção Ônibus Trem
Trilhas Leves, pequenas e médias Médias e grandes
Visão das cataratas De longe, visão ampla De perto, na trilha inferior
Visão da Garganta del Diablo De lado De cima
Passeio Lua Cheia Disponível Disponível
Passeio de Barco Disponível Disponível


Garganta del Diablo vista do lado argentino.
Garganta del Diablo vista do lado argentino. Quase impossível tirar uma foto sozinho, é muita gente!
Eu diria que gostei mais do lado argentino por ver as quedas de perto, o que parece síndrome de vira-lata, mas reitero que ambos são lindos e recomendadíssimos.
Importante: as trilhas do lado brasileiro são muito mais fáceis e adequadas para pessoas com dificuldades de locomoção.
Dica: chegar bem cedo no lado argentino, pois os ingressos para as atrações, como o Macuco Safari, acabam rápido.

Argentina significa show de tango. Onde ver um?

Restaurante El Quincho del Tío Querido com um pequeno, porém ótimo show de tango.
Restaurante El Quincho del Tío Querido com um pequeno, porém ótimo show de tango.
Você pode e deve assistir a um show de tango no restaurante El Quincho del Tío Querido. Inclusive, se não tiver vergonha, tem uma parte em que os dançarinos e dançarinas chamam para dançar no palco, e nós, embora não saibamos nada de tango, fomos, haha!

Vida noturna?

Não fomos, mas um lugar bom é a Rafain Churrascaria. Segundo alguns amigos que foram, o show é bem legal!

1 Pergunta, 1 Resposta

No passeio de Kattamaran no Lago Iguaçu.
Liliam, que é RYYYYYYYYYYYYYYYYYCA!!! Passeio no Lago Iguaçu.
Este é um quadro aqui no blog em que tanto eu quanto a Liliam respondemos a algumas perguntas sem sabermos a resposta do outro. Será que as respostas dão iguais? Vamos ver.


Pergunta Igor Liliam
Lugar mais bonito Trilha inferior das cataratas do lado argentino. Cataratas no lado argentino.
O que mais te surpreendeu? As cataratas do Iguaçu, quando as vi pela primeira vez. A vista da Garganta del Diablo do alto.
Passeio mais legal Passeio de barco nas cataratas. Passeio de barco nas cataratas.
Pior experiência Ter chovido no dia do passeio à Itaipú. Não teve.
Queria fazer, mas não fiz Entrar na mesquita islâmica. Passeios mais caros do lado argentino, como o Macuco Safari.
Melhor restaurante Churrascaria dentro do Casino Iguazú. La Vaca Enamorada.
Cataratas. Lado argentino ou brasileiro? Lado argentino. Argentino. Tem trenzinho e três trilhas.
Você voltaria? Sim. Sim.


Roteiro (Índice de Posts)

Vamos ao roteiro dia-a-dia. Nas próximas semanas, estes dias serão detalhados em posts.

Dias #0 e #1: De lá pra cá, de cá pra lá - Hito de las Tres Fronteras, Museu de Cera, Templo Budista e Ice Bar

No dia #0, chegamos e alugamos um carro. Passamos pela Ponte Tancredo Neves, ou Ponte Internacional da Fraternidade, onde há a divisa entre o Brasil e a Argentina, e jantamos no restaurante El Quincho del Tío Querido, que tem show de tango.

No dia #1, que foi um dia inacreditavelmente produtivo (quem vê acha que a gente não dorme, só passeia), acordamos e visitamos o Hito de las Tres Fronteras, que é o marco das três fronteiras do lado argentino, cuja entrada é gratuita. Depois, atravessamos a fronteira para o Brasil e partimos durante a tarde para o Museu de Cera Dreamland. Após isso, fomos ao Templo Budista, que é um tanto distante, mas vale a pena, sobretudo se não conhecer ainda nada do estilo. Ao entardecer, passamos no Duty Free da Argentina, um shopping grande e bonito que fica na fronteira (mas nada de barato pra comprar). De noite, voltamos para o Hito de las Tres Fronteras argentino e vimos um show de projeções na água, também gratuito. Por fim, visitamos o Icebar Iguazú, um bar de gelo em Puerto Iguazú.


Dia #2: Cataratas del Iguazú - o lado argentino

No dia #2, visitamos as Cataratas del Iguazú no lado argentino. A locomoção interna é de trem. Começamos pegando a trilha até a Garganta del Diablo, donde pudemos ver a garganta de cima. Incrível. Depois voltamos de trem e paramos em uma estação intermediária, onde andamos pela trilha inferior. No meio da trilha, fizemos um passeio de barco que vai até uma das quedas d'água. Nos molhamos, mas fomos felizes!

Jantamos em uma churrascaria dentro do Casino Iguazú para comemorar 1 ano casados. Aproveitamos para jogar um pouquinho com "dinheiro de mentira" que deram para a gente no Duty Free no dia anterior, haha!

Roteiro completo do dia em breve.

Dia #3: Itaipú Binacional

Reservamos o dia #3 para fazer o passeio na Usina de Itaipú. A usina é em terrotório binacional: tanto brasileiro quanto paraguaio. Para isso, reservamos antecipadamente no site deles os tours, que foram o Circuito Especial, em que se visita instalações internas e externas da usina, e o Porto Kattamaran, que é de catamarã no lago Itaipú, ao entardecer (horário que recomendamos).

Roteiro completo do dia em breve.

Dia #4: Parque das Aves e Cataratas do Iguaçu, no lado brasileiro + Luna Llena

O dia #4 foi para dois passeios no Brasil: de manhã, passamos pelo Parque das Aves, que possui diversos ambientes amplos com pássaros; e, de tarde, conhecemos o lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu. A locomoção interna é em um ônibus. Fomos direto até a última parada, onde fizemos a trilha até as pontes da Garganta del Diablo, cuja visão é de lado.

De noite, voltamos para as Cataratas del Iguazú no lado argentino e fizemos o passeio Luna Llena, que envolve ir até a Garganta del Diablo de noite. Mesmo as nuvens tampando a Lua assim que chegamos lá, foi um passeio indescritível que vale demais.

Dia #5: Ciudad del Este

Finalizamos no dia #5 com uma ida a Ciudad del Este. Estacionamos nosso carro alugado em um dos estacionamentos pagos próximos da Ponte da Amizade, na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, e atravessamos. Visitamos diversas lojas e shoppings em busca de aparelhos eletrônicos e cosméticos, assustados com os fuzis gigantes dos seguranças, haha!

Voltamos para a Argentina e jantamos no restaurante super intimista, La Vaca Enamorada, que é de um italiano. Nem todos pratos do cardápio estão disponíveis todo os dias, mas sempre estão bons.

Roteiro completo do dia em breve.


Links

  • Acesse também o post Dicas de Foz do Iguaçu: Viajando pela Tríplice Frontira, do Mala de Viagem. O post da Anna é excelente e lá vocês também vão encontrar várias e várias dicas sobre o que fazer na região, de modo muito complementar a este post! Eles tiveram a oportunidade de visitar o parque na semana santa, então tem várias dicas com relação aos parques no feriado. Acessem!