Unsplashed background img 1

Rio de Janeiro: Cristo Redentor (Corcovado) e Pão de Açúcar

Escrito por -

Casal em uma das trilhas do Pão de Açúcar.
O casal no Pão de Açúcar.
Um roteiro para visitar tanto o Cristo Redentor (Corcovado) quanto o Pão de Açúcar no Rio de Janeiro em um dia, e ainda passar pela Praia Vermelha.
Provavelmente, quando se pensa em Brasil, naturalmente se pensa em Pelé, futebol ou carnaval. Talvez também corrupção ou violência, infelizmente. Mas, se perguntar a um turista internacional, um do tipo raiz mesmo, nada de nutella, ele deve falar alguma coisa sobre o Cristo Redentor. É um monumento que, junto do Pão de Açúcar, meio que representa o país, mesmo. E, por mais incrível que pareça, muitos brasileiros nem sonham em conhecê-lo, inclusive os moradores do Rio de Janeiro! Quando se sobe nos dois, só se vê, por todo canto, gringos. É como se não estivesse no país, o que é surreal. Costumo dizer que, pelos monumentos famosos brasileiros, só se vê gringos; enquanto lá em Paris, na Torre Eiffel, se você se esbarra em alguém, melhor mandar logo um "foi mal" que vai ser bem compreendido, haha!

Nós já havíamos visitado os dois lugares quando crianças, mas não nos lembrávamos de nadinha. Sabíamos que, em alguma visita ao RJ, teríamos que visitá-los novamente. Pois bem, chegara o dia.

Decidimos visitar os dois monumentos em um dia só. Deu tempo, mas foi necessário algum planejamento. Confira aqui com a gente sobre o nosso dia no Cristo e no Pão de Açúcar! Ah, tem também um rápida visita à Praia Vermelha, que fica bem do lado do Teleférico do Pão de Açúcar e merece a visita caso esteja com tempo.

Os três lugares são bem seguros e, se estiver preocupado com o violência no Rio de Janeiro, acho que, nestes pontos, estará relativamente seguro. A não ser que surjam assaltantes alpinistas do nada te dando um tiro (que tiro foi esse?), acredito que nada pode dar errado. Só não esqueça do protetor solar, porque o sol é o maior inimigo, estando nublado ou não. Dica sobre o futuro do Pedro Bial para a turma de 2003.



Não deixe de ver o vídeo acima, que é o prólogo de nossa série de cinco filmes curtos chamada Lights from Desert2Snow, sobre nossa viagem que se iniciou no Rio de Janeiro e passou por Marrocos, Espanha, Andorra e França. É um vídeo musical produzido por nós, e, neste prólogo, a locação é o Rio de Janeiro. Me esforcei bastante para editá-lo! Fica até o final dele. São 2 minutos e meio de vídeo e vai ter bolo (spoiler: o bolo é uma mentira). Mas assim, se assistir e não gostar, pode postar aqui nos comentários "MAS QUE PORCARIA DE VÍDEO É ESSE MEU DEUSSSS" que eu deixo! Vê lá e tire suas conclusões!

Visitamos os dois monumentos no dia 07/12/2017, um quinta-feira.

Cristo Redentor (Corcovado)

Quanto tempo ficar lá

Você pode reservar 3h de uma manhã para o Cristo Redentor. Não tem muito o que fazer, a não ser que queira ficar lá apreciando a vista panorâmica da cidade.

Comprando os ingressos

À esquerda, Liliam na entrada do Trem do Corcovado - várias bandeiras de inúmeros países. À direita, o Trem do Corcovado em si.
À esquerda, Liliam na entrada do Trem do Corcovado - várias bandeiras de inúmeros países. À direita, o Trem do Corcovado em si.

Para comprar os ingressos do Cristo Redentor, recomenda-se fortemente que faça a reserva com antecedência. Se a época não for alta temporada, é possível fazer a reserva no dia da visita mesmo, que foi o que fizemos. É melhor isso do que correr o risco de o monumento não estar de braços abertos para você!

Você pode subir de trem, de carro, ou em algum tour guiado com uma van. Se você for um alpinista parente da Lara Croft ou do Nathan Drake, sempre pode optar por escalá-lo também, haha! Optamos pelo trem, que é uma experiência bem interessante, passando pelo meio das florestas que circundam o morro. Para fazer a reserva online, são duas opções: no site Trem do Corcovado, ou então no aplicativo (disponível para android e iOS). Em ambos, você reserva um horário, e tem de estar lá antes. Tentamos comprar pelo site e não conseguimos, dizia que estava sem horário. Tentamos pelo aplicativo e funcionou. Foi só chegar lá com alguma antecedência, mostrar a reserva no celular e trocar por um ticket. Subimos para o Corcovado na hora exata que foi marcada pela reserva! Muito eficiente. Chegamos cerca de 10:30 da manhã. Caso não tivéssemos reservado pela internet, teríamos de esperar até o meio-dia para comprar. Aí não, né? E não tem quase nada para fazer lá por perto, então, já sabem!
Dica: O site Corcovado ao Vivo tem uma webcam ao vivo em que se pode ver se a visibilidade no Cristo Redentor está boa. Há dias nublados em que as nuvens cobrem o monumento por completo, e daí, ao subir, não dá pra ver nada.

A subida de trenzinho

Liliam observando as jacas no caminho do Trem do Corcovado... no lado em que só dá pra ver jacas mesmo.
Liliam observando as jacas no caminho do Trem do Corcovado... no lado em que só dá pra ver jacas mesmo.
Subimos, portanto, na hora marcada pelo trenzinho, o que foi muito bacana! Como disse, você passa pelo meio da floresta, e, inclusive, em algumas partes, tem excelentes visões da cidade. 
Dica: se possível, sente-se no janela do lado da plataforma, pois dele você tem as visões da cidade. Do outro, você vê um monte de pés de jaca. Sua escolha, haha! Tem gosto pra tudo. Por favor, não me xingue caso você prefira ver jacas a paisagens sensacionais.

A tal da Escadaria ou o tal do Elevador e da Escada Rolante

Mulher na escadaria para o Cristo Redentor.
Subindo as escadarias até o Cristo. Vale a pena!
Ao chegar lá em cima no final do trem, você tem duas opções: ou prossegue em um elevador, que depois dá em uma escada rolante, ou encara 220 degraus de subida. Minha sugestão: a não ser que tenha problemas de mobilidade, vá pelas escadas. 220 degraus não vão te matar. Agora, talvez as vistas te matem de emoção, pois é tudo muito bonito. 

Visões na subida até o Cristo Redentor.
As visões na subida até o Cristo compensam e muito.
O único problema é conseguir tirar uma foto sozinho em um dos mirantes. Quanta... gente! Lembrando que não estávamos em alta temporada, era dia de semana, mas a quantidade de gringos era absurda! 

No meio das escadarias, existem também dois pontos com lanchonetes, caso queiram comer algo.

No Cristo, finalmente

Mulher no Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.
Tentando tirar uma foto sozinha no Cristo Redentor... é mais fácil ver uma vaca tossindo.
Muita gente chega no Cristo e fica um pouco decepcionado com o seu tamanho. Idealizam-no tanto que acham ser maior. Pra ser sincero, eu, pessoalmente, acho que o tamanho é mais do que adequado. Deus do céu (literalmente), é muito difícil tirar uma foto do monumento inteiro no espaço curto e lotado que tem lá... além disso, para tirar uma foto, às vezes, é necessário deitar no chão. Inclusive, pensando nisso que a Pirelli botou uns colchonetes lá para as pessoas deitarem e tirarem foto do Cristo Redentor, muito engraçado!

Deitada em um colchonete para tirar foto do Cristo Redentor.
Colchonetes para tirar foto do Cristo Redentor. Um oferecimento Pirelli. Só tomem cuidado para não serem pisoteados pelos gringos.
A vista é de tirar o fôlego, realmente. É visão das praias, dos outros morros, do Pão de Açúcar, dos prédios. Para quem aprecia vistas é uma ótima! E tem alguém que não as aprecie, por acaso? Só se tiver probleminha na cabeça, eu acho.

O tempo estava um pouquinho nublado, com nuvens esparsas e com um tanto de vento, mas, como estava próximo do meio-dia, estava bem quente e abafado. Típico do Rio de Janeiro, onde as sensações térmicas podem chegar até a 50º. Bem desatualizada mesmo a tal da música "Rio 40º", haha!

Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, visto debaixo.
No Rio de Janeiro, quem abre os braços é ele.
Na parte de trás do Cristo existe uma capela para orações. Nem sempre ela está aberta, mas, quando fomos, estava.

Estação intermediária do Trem do Corcovado - Museu, loja e restaurantes

Museu do Corcovado.
Uma parte do museu que existe na estação intermediária do Corcovado. Vale a pena visitá-lo se estiver com tempo.

Acho que poucos sabem, mas o Trem do Corcovado para em uma estação intermediária, em que quase ninguém desce. Resolvemos descer e descobrimos que existe uma grande loja de conveniência ali, um museu, duas lanchonetes (dentre as quais uma de sanduíches artesanais) e um restaurante.

A loja de conveniência é cheia de souvenirs (caros) sobre o Corcovado. Tem de tudo por lá. Tem também livros, roupas e afins relacionados ao Brasil (tudo caro também). Bem típico para turistão mesmo. Mas, se quiser comprar algo, lá é um lugar.

O museu é pequeno, mas bem bacaninha. Pelo menos quando fomos, tinha a temática de sustentabilidade. Pelo menos foi o que eu notei. Conta com um telão composto por 4 retroprojetores em que passa um vídeo super artístico sobre o Corcovado, e também conta com painéis interativos e projeções bem criativas. Ah, e tem também uma maquete enorme do Rio de Janeiro.

Uma visão do mirante da estação intermediária do Trem do Corcovado.
Uma visão do mirante da estação intermediária do Trem do Corcovado.
Até consegui pensar aqui em um episódio de Black Mirror em que você chega lá no Corcovado e pergunta qual é o preço da Ruffles, e o cara responde "é de graça, pode levar". Que plot twist do cacete! Não teria como competir com a realidade! Mas infelizmente não é assim. A lanchonete tem uma Ruffles que custa 8 reais (reflita sobre a vida, sobre o universo e sobre tudo mais). Então já sabe os preços que vai encontrar por lá. Os restaurantes são todos gourmet carinhos, mas a comida deve ser boa, né? Única coisa que experimentamos deles foi a vista: fenomenal.

Trilhas

Não visitamos, mas sabemos que existem trilhas ali no Corcovado. Inclusive com uma cachoeira. Se alguém souber sobre elas, manda aí nos comentários!

Praia Vermelha

Sobre a Praia Vermelha

Na Praia Vermelha. Linda e segura!
Na Praia Vermelha. Linda e segura!

Ao lado do Teleférico do Pão de Açúcar tem uma praia que fica entre dois morros: o da Urca e o da Babilônia, então tem uma paisagem bem bonita e diferente, recomendamos. Além disso, é uma área muito segura por pertencer ao exército: lá ficam um clube militar e também o IME, o Instituto Militar de Engenharia. Tenho certeza que nenhum pivete vai querer se meter com os militares com armas pesadas lá, certo?

Decidimos visitá-la porque o Teleférico do Pão de Açúcar funciona até tarde e estava praticamente sem filas (ao contrário do Corcovado, que loucura). Passamos por lá e não nos arrependemos. Realmente a paisagem de praia entre morros rende boas fotos e também te permite dar uma bela de uma relaxada!

Complexo Pão de Açúcar

O que é?

Primeiro bondinho do Pão de Açúcar.
O moço e o primeiro bondinho.

O Complexo do Pão de Açúcar corresponde a dois morros: o menor, que é o Morro da Urca, e o maior, que é o Pão de Açúcar. Ele pode ser acessado pelo Bondinho do Pão de Açúcar. São dois bondinhos: um que liga a Praça General Tibúrcio ao Morro da Urca, e um outro bondinho que liga o Morro da Urca ao Morro do Pão de Açúcar.

Quanto tempo ficar lá

Dá pra aproveitar o começo da noite lá no topo do Pão de Açúcar. Ver a cidade iluminada é ótimo!
Dá pra aproveitar o começo da noite lá no topo do Pão de Açúcar. Ver a cidade iluminada é ótimo!

Dado que o Complexo do Pão de Açúcar funciona das 08:00 às 21:00, decidimos ir lá durante a tarde para ver o entardecer lá de cima. E ficamos por lá 4h30min, sendo que ficamos 1h no Morro da Urca e 3h30min no Morro do Pão de Açúcar (há muito o que explorar por lá, principalmente se você gosta da natureza e de relaxar). No nosso caso, vale lembrar que temos uma tara muito louca por tirar fotos, então normalmente a gente gasta mais tempo em um lugar por causa disso!

Comprando os ingressos

Você pode comprar os ingressos pela internet e o bilhete é associado a um dia, e não a uma hora. A vantagem é que você não precisa pegar a fila da bilheteria, mas deve pegar a fila do bondinho.

Resolvemos comprar na hora e foi tranquilo, não havia praticamente fila nenhuma nem para comprar e nem para entrar no bondinho. Ô trem bonde bom!

Dá pra subir por conta?

Existe uma trilha para subir no Morro da Urca. Para subir no Pão de Açúcar, só com o bondinho ou então escalando mesmo.

Uma coisa que as pessoas costumam fazer e que acaba saindo mais barato é subir até o Morro da Urca pela trilha e depois comprar passagem só de subida para o Pão de Açúcar. Após das 19h da noite, a descida pelos dois bondinhos é gratuita. Dá pra exercer habilidades supremas de murrinhagem aqui sim, amiguinhos!

Morro da Urca

Liliam e a primeira versão do Bondinho do Pão de Açúcar.
Liliam e a primeira versão do Bondinho do Pão de Açúcar. E aí, encarava?

Subimos pelo bondinho, que está todo renovado e modernizado. Ele sobe bem rápido, deu até pressão no ouvido. Sou muito sensível demais eu sou um alguém que chora, então chegou até a doer, mas enfim. É muito boa a subida e você já começa a ter uma visão massa da cidade.

Espreguiçadeira em um dos mirantes do Pão de Açúcar. Bom pra relaxar.
Espreguiçadeira em um dos mirantes. Bom pra relaxar.

No Morro da Urca a gente basicamente deu algumas voltas e tirou algumas fotos nas visões panorâmicas da cidade. Esse ponto do complexo contém mirantes com espreguiçadeiras em que você pode deitar; lojas para fazer compras; lanchonetes; e trilhas.


Ah, e, assim que você chega, tem uma exposição de cada uma das versões dos bondinhos. Na época de nossa visita, foram três versões. Uma bem antiga, que, acho, ficaria com medo de entrar, haha; a intermediária, que é a mais famosa e que até apareceu no filme do James Bond (007 Contra o Foguete da Morte); e a atual, modernizada e rápida.

Museu do Bondinho. Fica no Morro da Urca e vale parar ali para conhecer um pouco da história.
Museu do Bondinho. Fica no Morro da Urca e vale parar ali para conhecer um pouco da história.
Há também um pequeno museu que conta a história do bondinho e do complexo, que vale muito a visita.

As visões no Morro da Urca.
As visões no Morro da Urca.


Pão de Açúcar

Visão no Pão de Açúcar. Belíssimo!
Visão no Pão de Açúcar. Belíssimo!
Seguimos para o segundo bondinho e subimos para o Pão de Açúcar. Mais uma subida que fez meu ouvido doer, sofro! Haha!

Assim como o Morro da Urca, aqui também há mirantes, lojas e trilhas. Na minha opinião, ainda mais lindas do que as do morro irmão, e com um microclima muito agradável. Mesmo o Rio de Janeiro sendo conhecido pelo seu calor capetônico, ali estava bem fresco e agradável.

Nosso objetivo ali era descobrir onde foi tirada uma foto antiga da Liliam. Queríamos imitá-la. Então fomos andando pelas trilhas, o que foi muito bom porque apreciamos muito a vista, o universo e tudo mais. E não estava muito cheio, pudemos andar tranquilos, parar nos lugares a apreciar, tirar fotos. Ótimo passeio!

Recriando uma foto no Pão de Açúcar. 20 anos separam as duas!
20 anos separam a foto de cima e a foto debaixo.
Pois bem, encontramos o tal do lugar e tiramos as fotos. Como se vê, Liliam cresceu... uns 10cm, mas cresceu (brincadeira Liliam, por favor me perdoe por escrever isso, espero que você ainda me ame). Mas quisemos fazer uma foto com uma pose bem semelhante à original, então Liliam ficou super desengonçada e engraçada, hahaha! Mas... conquista desbloqueada! Conseguimos!


Cumprido o objetivo, fomos até o mirante principal e aguardamos lá até o entardecer. Infelizmente, o tempo estava nublado e o pôr-do-sol não foi magnífico, mas acredito que, em tempo de céu mais limpo, deva ser nada menos do que fenomenal. Tempo bom ou ruim, após o entardecer vem a noite (ora ora, temos um xeroque rolmes por aqui), e, durante a noite, a vista é fenomenal e vale a pena!

Vista do Pão de Açúcar durante a noite.
Vista do Pão de Açúcar durante a noite.
Ficamos lá até nos expulsarem praticamente. Era o último bondinho de descida e, se não o pegássemos, iríamos ter de dormir ali, ao relento, sozinhos, com o vento frio e desagradável da noite. Chances grandes de falecer. Mas deu tudo certo e voltamos até a terra mais firme do que uma terra firme de um morro.

Curiosidades

Curiosidade #1: o Bondinho não era o nome original do teleférico do morro da Urca. Contudo, os cariocas gostavam de apelidar tudo e o Bondinho lembrava muito os bondes que circulavam pelo Rio de Janeiro - mas não era tão grande quanto eles, então não seria um bonde, mas, sim, um "bondinho".
Curiosidade #2: na versão 2 do Bondinho ele ficou maior e mais rápido, mas a capacidade de pessoas foi reduzida. Isso porque, acredite, o peso médio das pessoas aumentou (ótimo eufemismo para dizer que a população ficou mais gordinha...)
Curiosidade #3: No filme 007 Contra o Foguete da Morte, era para o Bondinho despencar dos cabos. Mas foi pedido que isso não acontecesse no filme, do contrário os turistas teriam medo de utilizá-lo! 

Jantar no Restaurante Terra Brasilis

Aproveitamos para jantar em um restaurante próximo, o Terra Brasilis, que fica no Clube do Exercíto, na Praia Vermelha. Ele tem uma vista legal da cidade e a comida é muito boa. Sabemos falar de comida direito não, mas recomendamos. Pedimos um prato de carne para nós dois.

Links

Não deixem de passar no post Rio de Janeiro: Onde ficar e pontos turísticos imperdíveis do blog Tripadoiss. Lá, você vai ter um guia super completo sobre vários lugares para se visitar no Rio de Janeiro, o que inclui o Cristo e o Pão de Açúcar, mas também muito mais, tudo isso na vibe gostosa de se viajar em casal! Confiram!