Logo do S2Station
Background Padrão do Topo

Barcelona: Explorando o Parc de Montjuïc

Escrito por -

Casal no terraço do Museu Nacional de Arte Catalunha, em Barcelona.
O que fazer no Parc de Montjuïc, em Barcelona, Espanha. Conhecendo o Castelo de Montjuïc, o Parque Olímpico de Barcelona e o Museu Nacional de Arte da Catalunha.

Sobre o tal de Montjuïc

O que é?

Pense num lugar turístico. Agora pense num lugar bonito, alto, de onde se pode ter uma visão panorâmica de uma cidade toda e também do mar e de seu porto... Por fim, mentalize uma cidade incrível como Barcelona. Veio-lhe à cabeça o Parc de Montjuïc? Certa resposta!

O Montjuïc é uma colina muito bem localizada em Barcelona, e significa, no catalão medieval, "Monte dos Judeus". E não ouse escrever o nome do lugar sem o trema, ou então vai tremer! Nele você vai encontrar um parque com inúmeras atrações, dentre as quais um castelo ao topo, o parque olímpico, o Museu Nacional de Arte da Catalunha mais chique d'úrtimo e inúmeros jardins. Visitá-lo é ter mais evidências do quão eclética é essa cidade! 

Gostamos muito de quando uma cidade possui um morro de onde se pode observar, naturalmente, a cidade, ainda mais quando tem um teleférico. Falaremos neste post sobre os lugares que visitamos no Montjuïc — os mais interessantes, mesmo. Gastamos um dia inteiro na brincadeira, mas saiba que há muito mais a explorar.

Visitamos em Dezembro de 2017.

Museu Nacional de Arte Catalunha ao fundo. As cascatas estavam em reforma!
Museu Nacional de Arte Catalunha ao fundo. As cascatas estavam em reforma!

Como chegar?

Recomendamos o aplicativo Moovit (Android, iOS) para identificar como chegar no Montjuïc. Basta informar o local desejado e a hora de chegada ou de partida, e ele vai te informar todo o caminho necessário, seja por meio de transporte público ou privado. Muito prático! 

Nós chegamos no Montjuïc pelo Teleférico, então foi só seguir até a estação Paral·lel e, de lá, pegar o funicular de Montjuïc, integrado com o metrô.

Nossa visita

Decidimos visitar na seguinte ordem: primeiro o Castelo de Montjuïc, depois o Parque Olímpico, então o Museu Nacional de Arte da Catalunha, e, por fim, a Plaça d'Espanya, onde visitaria mostra o Shopping Arenas.

Teleférico de Montjuïc

Subindo o Teleférico de Montjuïc.
Subindo o teleférico de Montjuïc.
Preço: 12,70€ ida e volta
Site: https://www.telefericdemontjuic.cat/es

A melhor forma de subir no Castelo de Montjuïc, que dica no topo da montanha, é pelo teleférico. Para quem é brasileiro e tá acostumado com as belezas do Rio de Janeiro, traduzo: bondinho, haha! Nada melhor do que um bondinho para subir em um monte com dignidade, sem morrer, e experimentando belas vistas!

Você pode comprar os ingressos do teleférico pelo site para poupar seu tempo, mas, por algum motivo, não conseguimos comprar de modo algum, então deixamos para comprar na bilheteria. Nossa sorte é que, por ser baixa temporada, não tinha ninguém na fila.

Dica: Você pode comprar só um trecho ou ida e volta. Compramos só a subida. A nossa ideia era subir pelo teleférico e depois descer até o Parque Olímpico andando, mas, a não ser que você esteja com muito tempo, acho que não dá, é bem longe! Ideia de jerico. Que noobs. O Google Maps engana, não é mesmo? Mas existem ônibus que saem lá de cima e passam na frente do Parque Olímpico, e foi o que fizemos, aliás, até recomendamos, você ganha tempo. 

A subida é tranquila e as visões são bacanas, tiramos muitas fotos! Existe uma estação intermediária com um mirante, mas ela somente é acessível no trecho de descida. Não fomos. 

O teleférico dá bem na frente do Castelo de Montjuïc.

Castelo de Montjuïc


Preço: 5 €. Menores de 16 anos não pagam.

O Castelo de Montjuïc é um forte militar que data de 1640 - um bom tempo. Antes um palco de várias batalhas e agora um museu.

Este foi o primeiro castelo que visitamos. Não sei se por ignorância, mas eu imaginava que castelos fossem todos grandes palácios chiques onde nobres rycas moravam com seus vestidos pomposos e tinham como única preocupação a lista de convidados do baile das 7h da noite. Porém, pelo menos no sentido português e espanhol, um castelo tem a função de proteção. Por isso é instalado em uma posição estratégica e equipado com armas prontas para matar. Não tem nada de muito chique, na verdade — não necessariamente. E é muito massa! 

A visão lá de cima é panorâmica. De um lado se vê o mar e o porto de Barcelona, enquanto do outro se observa a cidade. 

Entre dentro do castelo e explore seu pátio central e seu terraço. Observe as torres — elas têm paredes com buracos finos em formato de cruz para meter bala nos invasores sem se comprometer. Primeira vez que visitamos um negócio desses, foi bem legal! Depois saia e explore o seu redor. Cada um dos cantos possui um baita de um canhão de respeito! Como um forte, o objetivo era a defesa. Há também jardins e pátios para explorar. 

Parque Olímpico


Descemos até o Parque Olímpico de ônibus. Só fizemos coisas gratuitas lá. Entramos no Estádio Olímpico e depois observamos a Vila Olímpica, com sua pira muito louca. Tudo muito bem conservado até hoje, muito embora as Olimpíadas de Barcelona tenham sido há 26 anos atrás, em 1992. 

Achei engraçado que, como quase tudo nesse dia, estava mega vazio. Como um fotógrafo que ao menos tenta ser bom, eu me deitei no chão para tirar uma foto da Liliam vista debaixo, para sair detalhes do arco na entrada do Estádio Olímpico. Não durou nada e surgiu uma guardinha senhora DO NADA dizendo "é proibido deitar no chão, você pode ser pisoteado". Achei curioso. Talvez alguém tenha um ensinado a ela que isso era proibido na época das Olimpíadas, afinal deveria estar lotado, e ela mentalizou isso por 26 anos até ter a oportunidade de falar para alguém e exercer seu trabalho, ainda que não faça sentido, já que não tinha quase ninguém. Reflitemos. Levantei-me, claro. Pela minha vida. 

Jardim Botânico

Flores no Jardim Botânico de Montjuïc.
Flores no Jardim Botânico de Montjuïc.
No caminho até o Museu Nacional de Arte Catalunha, deparamo-nos com a entrada do Jardim Botânico, que não estava nos nossos planos. Entramos para ver de qual era, e, embora pareça belo e tudo mais, estava tudo um pouco sem graça por ser inverno. Talvez, na primavera, compense.

Museu Nacional de Arte da Catalunha


Preço: 12 € para entrada geral, 2 € para o Terraço

Introduzindo por trás

Chegamos entrando por trás do Museu Nacional de Arte da Catalunha. Logo próximo do Parque Olímpico tem uma entradinha um pouco escondida com direito até mesmo a escada rolante. Já notamos o nível de detalhismo do prédio do museu logo de cara, e precisamos, claro, tirar um monte de fotos!

Museu Nacional de Arte da Catalunha ao fundo atrás do verde.
Folha de outono e o Museu Nacional de Arte da Catalunha ao fundo.

Na frente do museu

Demos a volta no prédio e vimos a sua parte frontal, que tem uma visão muito massa para a Plaza d'Espanya ao fundo. Tava um clima muito bacana e com um cara tocando Hotel California no violão ao ar livre, muito agradável!

Terraço

Decidimos entrar no museu para dar uma volta rápida, e compramos o ingresso com a opção do Terraço, o que recomendamos fortemente.

Existe um elevador, e, depois de subir nele, tem que subir escadas, afinal Europa é assim mesmo, sobe escada, sobe escada, mais escada até o joelho não aguentar mais! Não pode faltar!

Torres no terraço do Museu Nacional de Arte da Catalunha
E o legal mesmo desse terraço é que ele tem um caminho para você dar uma volta em uma das laterais inteira, e, assim, tem visões diversas, dentre as quais uma bacana de dependências do Parque Olímpico. As torres do prédio e o telhado são legais também. 

Exposições

Eu estava um pouco cansado, mas Liliam parou para ver algumas exposições de pinturas antigas no museu também enquanto eu confortavelmente fiquei sentado em um sofá. 

Não podia tirar fotos. 

Fonte Mágica de Montjuïc


Saindo do museu, descendo as suas escadas em direção a Plaça d'Espanha você vai parar na Fonte Mágica de Montjuïc, que, infelizmente para nós, não estava ligada... E, para completar o nível do azar, no meio das escadarias há a umas cascatas que, nas fotos, se mostravam sempre belíssimas e eu já tava desejando fortemente tirar uma foto ali... mas elas estavam em reforma. Bom, não demos sorte quanto a isso! Mas também, o que se espera de pessoas que conseguem fazer até chover no deserto?

Plaça d'Espanya


Continuamos o caminho até a Plaça d'Espanya. Possui, dentre suas várias atrações, um monumento ao centro com uma fonte e estátuas, duas torres ao estilo de Veneza, e um shopping.

Shopping Arenas


Esses shopping foi o que mais nos chamou a atenção, por parecer uma arena de tourada. Mas, peraí, realmente foi um dia uma arena! Só que, lá dentro, você não tem como perceber isso, porque tem cara de um shopping mesmo como qualquer outro.

Chegamos lá varados de fome, porque passamos o dia inteiro sem almoçar. E o pior é que o tempo tava ficando nublado e nem sol pra fazer fotossíntese a gente tava tendo mais. Comemos no restaurante japonês Udon.
Dica: o shopping possui um terraço que pode ser acessível por dentro do shopping gratuitamente. Há, também, um elevador panorâmico na parte externa, pago. Achávamos que era a única forma de chegar no terraço, mas saibam que não é necessário, você pode subir de graça pelo interior do shopping.

Extra - Barceloneta


Sobrou-nos um tempo durante o entardecer, então pegamos um metrô até a praia de Barceloneta, com o objetivo de ver o entardecer. Mas o tempo deu aquela fechada e não foi tão legal assim, além do mais o sol se põe no lado contrário da praia, então não é uma ideia lá muito boa. 

Liliam estava com o seu modelito praia com 3 camadas de roupa e pode mostrar suas roupas da moda verão, só que não, gente. O frio imperava naquele lugar! Só demos uma breve tocada no mar para dizer que tocamos no mediterrâneo, mas, fora isso, ficamos relaxando de boas em uma espreguiçadeira de cimento próxima de um pier.
Logo da S2Station