Logo do S2Station
Background Padrão do Topo

Lagunas Altiplânicas, Laguna Chaxa e Piedras Rojas: Deserto do Atacama

Escrito por -

Passeio de São Pedro do Atacama até as Lagunas Altiplânicas (Miscanti e Miñiques), no Deserto do Atacama, passando pela Laguna Chaxa, Piedras Rojas, e também pelas cidades de Socaire e Toconao.

Plenos no alto e no plano

Um passeio de um dia inteiro que é imperdível é o das Lagunas Altiplânicas. É cansativo? Sim! É bonito! É! Se por um lado você fica um tempão dentro de uma van, sem ver gente nem indo e nem vindo, como se estivesse sozinho no mundo nas estradas, as paisagens são de tirar o fôlego, sobretudo se você considerar que o passeio é em grandes altitudes, mais de 4.000m, e fôlego, nas condições atmosféricas do lugar, é algo que você já não tem naturalmente! De todos, acho que é o que você mais nota variação na paisagem, além de ser um tanto colorido.

Normalmente, é combinado com a Laguna Chaxa, belíssima laguna no Salar do Atacama com flamingos lindos voando de lá pra cá, e com o Salar de Águas Calientes, também conhecido como Piedras Rojas.
Sad story: não pudemos entrar no Piedras Rojas porque estava fechado, por motivos de preservação do local! Mas, normalmente, o passeio inclui esse belíssimo lugar.




Veja acima um vídeo curto de 5 minutos explicando sobre tudo que tem nesse post, bem rápido e bem animado também, tenho certeza que não te deixará entediado! Assista. E, se gostar, inscreva-se no canal!

Vamos a um mini-guia sobre o passeio e, logo a seguir, um relato sobre nossa experiência.

Mini-Guia

Como ir e quanto custa?

É um passeio que pode ser feito tranquilamente de carro, visto que as pistas são todas asfaltadas e em excelente estado de conservação. Só terá de pagar entradas.

Todavia, fizemos com um tour privado. Os preços estão a seguir.
  • Agência: Flamingo
  • Preço: 45.000 CLP
  • Entrada: 5.500 CLP
  • Duração: dia inteiro (07:00 às 17:30)
  • Inclui: café da manhã e almoço 

O que levar? 

  • Roupas leves e de frio. Devido à variação de altitude, pode ser que fique bem frio e bem calor no mesmo dia. 
  • Bons calçados para caminhar. 
  • 2l de Água. 

O passeio é de alta altitide. O que posso fazer pra evitar o mal de altitude? 

A melhor coisa que você faz pra evitar o temido soroche, ou mal de altitide, é beber muito líquido. A altitude desidrata o nosso corpo, então é necessário repor isso. Leve 2l de água, deixe na Van, e beba constantemente. Evite alimentos muito salgados, sobretudo na ida. Evite movimentos bruscos ou correr.

"Mas eu vi o vídeo de vocês da viagem e, nele, vocês ficam dançando e pulando no meio do deserto". Pois é, mas façam o que eu digo e não façam o que eu faço, haha! Somos loucos, essa é a verdade. E eu, Ígor, acabei tendo dor de cabeça, então.. Nada de despirocar.

Relato 

Laguna Chaxa 


Fomos pegos no hotel cedinho, às 7h da manhã, e fomos todos levados para a primeira parada, que foi na Laguna Chaxa.

Para nós, assim que chegamos, notamos que foi figurinha repetida! Em nosso Tour de Vinhos por Toconao, a gente já tinha passado lá! Mas, naquele tour, foi durante o entardecer. Nesse, foi durante o amanhecer. Então foi uma experiência e as cores do lugar foram diferentes.

A Laguna Chaxa fica no Salar do Atacama, e o mais legal, além da paisagem surreal, são os flamingos que ali habitam. São rosinhas e fofinhos, e voam. Dizem. Haha!

Enfim, é um lugar pra apreciação.

Manhã ou tarde: alguns tours passam por lá na ida, outros na volta, ao entardecer. São duas experiências diferentes, o lugar, inclusive, parece outro. O que você prefere? Informe-se!

Parada em Socaire

Teve paradinha em Socaire, um vilarejo pequetito. Ele tem uma igrejinha, em que você pode entrar, e também umas plantações bem legais, tipo de quinoa, que é um negócio realmente popular por lá.

Vejam as fotos abaixo para ter noção sobre o lugarzinho!

Caminho

Não se engane, você vai passar tempo na van até a bunda ficar quadrada. Porém não se preocupe, pois o caminho é lindo, cheio de montanhas. A paisagem começa marrom, bem marrom, e, com o tempo, vai adquirindo tonalidades do verde e do amarelo, conforme a altitude vai incrementando. No inverno, é provável que a cor seja o branco, já que há neve. Se tiver sorte, e provavelmente terá, vai ver lhamas, vicuñas ou guanacos no caminho! Quando eles aparecem, o motorista sempre dá uma parada ou desacelera para tirar fotos.

Você verá pouquíssimos carros passando pelas estradas. A sensação é de ser um dos últimos habitantes da terra em um mundo pós apocalíptico bonitinho.
Dica: não deixe de prestar atenção, sério. Sério! Nada de dormir, tá certo? Acompanhe as montanhas, os animais. Tudo. Vai valer a pena!

Mirante Aleatório no Caminho 

Teve um mirante aleatório no caminho, que não tem nome, ou pelo menos eu acho que não tem nome, mas não importa, porque você acaba passando nele. Além de ter uma pedra alta, feita pela natureza com o objetivo de servir de esconderijo para que você possa fazer suas necessidades fisiológicas, caso haja a necessidade, é lá que você vê pela primeira vez os Piedras Rojas, ou Salar de Águas Calientes.
Além disso, tem uma estrada. E o que tem demais nela? Pois, além da visão massa pra caramba, você tem a oportunidade de tirar a foto clássica no meio da estrada, sem a chance de ser atropelado terrivelmente! E não é só isso. Postando essa foto no instagram você automaticamente ganha VÁRIAS CURTIDAS, porque as pessoas vão gostar, e é isso aí!

Mirante de Piedras Rojas

A seguir, a parada é no ponto que, pra mim, foi o mais bonito do tour, ainda que não seja o principal.


O mirante é uma pedra em que você sobe para ver o Salar de Águas Calientes, ou o Piedras Rojas, do alto. Tantas vezes algumas pessoas nos disseram que o Piedras Rojas era o lugar mais bonito do Atacama e bla bla. Só vimos de cima. E digo: foi bonito! Nossinhora, foi sim. Acho que a foto fala melhor por si.

Lagunas Altiplânicas: Lagunas Miscanti e Miñiques 

Laguna Miscanti 

Por fim, chegamos no parque das Lagunas Altiplânicas, que fica na Reserva Nacional Los Flamencos. Pagamos os valores da entrada e seguimos para a primeira, a Laguna Miscanti.
A agência nos ofereceu um almoço, que foi macarrão com acompanhamentos de nossa escolha, tipo um Spoleto improvisado e rústico self service no meio das montanhas, com uma visão extraordinária! Tava bom!

A seguir, seguimos por uma trilha, demarcada por pedras. É importante não pisar fora! A trilha é simples, porém acaba sendo um pouquinho mais difícil do que se espera ao vê-la dada a altitide de mais de 4.000m, que torna o ar rarefeito. Além disso, faz frio e o vento é gelado, intensificando a sensação térmica. Mesmo assim, a trilha é tão linda que.. E daí? Sério.

Laguna Miñiques 

Chega-se, então, na Laguna Miñiques. Ela tem um vulcão homônimo atrás, o Vulcão Miñiques. De sorte, inativo, do contrário já estaria preparando o pique para correr para as colinas e por minha vida, caso fosse necessário! O vulcão, de todo modo, teve um papel visual no local — antes, as duas lagoas eram uma só, mas, devido a uma erupção, tornaram-se duas. Louco, não?


Lindona a lagoa. Sem dúvidas, excelente passeio.

Toconao

Na volta, tivemos uma pequena parada na cidade de Toconao, em que também tínhamos parado em nosso tour de vinhos.
O Campanário de São Lucas na Plaza de Toconao.
O Campanário de São Lucas na Plaza de Toconao.

A cidade é bem pequena. A sua atração principal é a pracinha do centro. Nela, há o Campanário de São Lucas, uma igreja, um cacto em formato fálico muito louco, e várias lojinhas de artesanato.

Curiosidade: O bacana das casas lá é que são feitas de uma rocha vulcânica, a liparita, que protege o interior da casa tanto do calor do dia quanto do calor da noite. 
Dica: experimente, em uma das lojinhas, picolé de quinoa. Tem de outros também, mas o de quinoa foi o melhor!

Vídeo

As informações desse post também podem ser vistas em formato de vídeo no nosso canal do YouTube. Acesse lá!


Logo da S2Station