Logo do S2Station
Background Padrão do Topo

Las Vegas: 2 dias de passeio nos hoteis cassino gastando pouco

Escrito por -

Passeio por Las Vegas de 2 dias passando pelos hoteis cassinos da Strip e gastando pouco. Conheça The Venetian, The Mirage, Ceasar's Palace, Bellagio, Paris, Flamingo, Trasure Island, Luxo, Excalibur, New York-New York e o The Stratosphere sem gastar quase nada!

Viva las Vegas!

Pensa num casal comportadinho em plena cidade do pecado: esses fomos nós em Las Vegas. Sem descer uma gota sequer de álcool — não porque não queríamos, mas porque estávamos dirigindo —, visitamos a cidade para, de fato, conhecê-la. E o que aconteceu em Vegas não ficou em Vegas, não! A gente conta tudo!

Mas... como assim, dá pra conhecer Vegas sem ter um coma alcoólico após uma noite com stripers ou go go boys se esfregando em você? A gente nem sequer raptou um leão da MGM... E teve graça isso? Ah, teve sim. Ir pra Vegas naquele estilão de turista que quer ver e conhecer tudo significa explorar os seus deslumbrantes hotéis cassinos temáticos. Mas não são hotéis só para hóspedes, não. Eles possuem partes externas deslumbrantes, e também shoppings internos, com áreas onde qualquer um pode transitar gratuitamente. Espere ver réplicas de várias partes do mundo por lá — desde a estátua da liberdade até a Torre Eiffel, pasando pela Fontana de Trevi ou pela Ponte Rialto, e até mesmo uma pirâmide egípcia. Passeie pelos canais de Veneza, curtindo uma versão da Praça de São Marcos, ou então saiba como é andar por ruas de Paris. Tudo construído com uma megalomania só.



Nem tudo são flores, claro. Dependendo da época do ano, o calor pode estar insuportável. Também, dentro dos cassinos, o cheiro de cigarro impera, e, se você não gosta, vai se incomodar com isso! Mesmo assim, as coisas por lá, apesar de parecerem notavelmente falsas, impressionam pela grandiosidade.

Infelizmente, não teremos fotos dos cassinos em si porque é proibido tirar foto neles. Mas, ironicamente, é a parte que menos me interessa em Vegas.


Caso queira, você também pode ver o vídeo acima de 10 minutos. Ele é super informativo e animado, tenho certeza que irá gostar! Nele, tem praticamente quase todas informações que você acha aqui, só que mais resumidas, e acompanhadas de nossas filmagens em Las Vegas. Experimente vê-lo!

Este post tem o objetivo de mostrar como você pode visitar boa parte dos hotéis em dois dias, que foi o que fizemos! E o melhor: fazer quase tudo de graça! Além disso, no caminho, visitamos outras atrações também, que vamos citar. Fiquem com o nosso relato!

Relato

Itinerário

Estávamos hospedados no hotel The Stratosphere, e dividimos as visitas aos hotéis em dois dias da seguinte maneira. Você pode clicar no hotel desejado e ele vai até a parte do roteiro contendo as informações relativas a ele.

Dia 1:

Dia 2:

Importante mencionar que, no dia 2, tivemos menos tempo para os hotéis porque passamos, antes, em um Outlet.

Os hoteis marcados com * foram visitados somente na parte externa.

Dia #1

The Venetian

Site oficial: https://www.venetian.com/

Estacionamos no The Venetian, que tem estacionamento gratis, porque a gente é brasileiro pobre mesmo e estaciona onde é grátis, e começamos o nosso tour por hoteis já neste que é um dos melhores. Sempre tive o sonho de conhecer Veneza, e, até então, eu não tinha visitado, então seria uma boa prévia!
O The Venetian, como o próprio nome diz, tenta simular Veneza. O resultado é impressionante. Dentro, você encontrará um shopping todo temático, o Grand Canal Shoppes, com direito a canais que passam por diversas áreas, por onde passam gôndolas com gondoleiros que, assim como em Veneza, até chegam a cantar! Há uma parte central que imita a Praça de São Marcos, onde há lojas, restaurantes e, inclusive, apresentações gratuitas. O teto é falso, e, não, você não acha que ele é real, mas o restante é bem realista, eu diria.
Então, essencialmente, a gente foi andando por dentro do shopping e tirando fotos. Assim que chegamos na Praça de São Marcos, tivemos a sorte porque tava tendo uma apresentação, o Carnevale di Venezia! Eram dois cantores mó a cara da Itália mesmo, vestidos a caráter e cantando músicas típicas como a Funiculí, Funiculá, do Pavarotti. Não eram Matteo e Giuliana, mas é pra se sentir no Terra Nostra ou Esperança, direto do túnel do tempo. Intercalando algumas canções, tinha um cara numa perna de pau, e dois fantasiados com aquelas típicas fantasias de carnaval de veneza mesmo, fazendo acrobacias.
Depois, saímos para a parte de fora, que, confesso, era difícil, porque era tão linda e, ao mesmo tempo, com um calor tão capetônico que a vontade era de voltar pra dentro do hotel! Mas é bonito demais! A água é bem clarinha, tão clarinha que é artificial, fico me perguntando se em Veneza a água é azul daquele jeito mesmo, hahah! Há uma rélica do Campanário de São Marcos, bem como, também, da famosa Ponte de Rialto, pra você soltar aquela risada bem alto mesmo, kkkkkkkk!

Quero gastar dinheiro. O que tem pra fazer?
  • Tour de gôndolas: o tour de gôndolas pode ser feito ao estilo de Veneza mesmo. Você passa pelo lado de fora e de dentro, e o gondoleiro até canta. Confira o preço no site oficial.
  • Madame Toussauds: o famoso museu de cera também tem a sua versão de Las Vegas, com direito ao boneco do Barney Stinson, de How I Met Your Mother. Confira no site oficial
  • Shows: são vários os shows pagos nos auditórios do hotel. Você pode conferir na agenda deles

The Mirage

Site oficial: https://www.mirage.com/

Esse a gente só passou pela frente, no lado de fora. Fica no outro lado da rua do The Venetian. Ele tem um lago bem grande na frente com um vulcão (não preciso dizer que artificiais, né? Tudo em Vegas é artificial), e é bonito pra tirar foto de dia, já que a água é bem azul.


Nós passamos de dia, mas, depois, ao final do dia, voltando para o The Venetian para ir embora, a gente passou na frente do hotel de novo. Isso porque o mais legal é de noite mesmo, pois ocorre uma apresentação chamada "Volcano", em que o vulcão entra em erupção. Dá cada susto, é fogo de verdade em todo o lago e no vulcão também. Não bastasse o calor natural da cidade, você ainda sente aquele calorzão da erupção. Que ideia! Haha! Louquíssimo! A apresentação, quando fomos, ocorria às 20:00, 21:00 e 22:00, mas você pode conferir os horários atualizados no site oficial https://www.mirage.com/en/amenities/volcano.html.
Dica: Chegue um pouco mais cedo, se conseguir, pra pegar um lugar bonzinho, pois enche!

Ceasar's Palace

Site oficial: https://www.caesars.com/

O Ceasar's Palace também é chique que só, como o The Venetian. Começo a observar um padrão aí: acho que eu gosto da Itália, haha!

Este hotel, por sua vez, é inspirado em Roma, ou melhor, no Império Romano. Espere ver réplicas de estátuas romanas e também, no lado de fora, da Fontana de Trevi, aquela mesmo em que a galera faz um desejo e joga um moedinha e, spoiler, o seu desejo não se realiza, sinto muito. Haha!
Entramos pela entrada na frente do Harrah's, onde pudemos vislumbrar um shopping com escadas rolantes curvadas, na área do shopping que é chamada "The Forum" ("O Fórum", em português). Sério, eu nem sabia que isso era possível. Elas faziam uma curva, choquei muito! Parece uma coisa que eu veria no filme A Origem. Além das escadas, a arquitetura romana está presente, bem como réplicas de estátuas famosas, inclusive, algumas vezes, intencionalmente quebradas, tal como as originais.
O caminho entre o The Forum ao cassino, chamado de "Ceasars Forum", também é repleta de réplicas de estátuas e fontes, e este é o grande destaque do hotel!
Saímos pela saída do cassino e aproveitamos, também, a parte externa do hotel. Fazia mais calor do que no dia em que Nero queimou Roma. Mas é tudo tão legal que compensa. Novamente, muitas fontes e muitas estátuas. Deveria chamar esse hotel de Fontes&Estátuas. É isso aí. Ah, e construções típicas do Império Romano também!

Bellagio 

Site oficial: https://www.bellagio.com/

Partimos para um dos mais bonitos, o Bellagio. A gente entrou sem querer nele, na verdade, haha! Ficamos impressionados com o corredor. Diferente dos outros hotéis, este, que é inspirado em uma cidadezinha homônima na Itália, é bastante claro por dentro e aproveita bastante a luz do sol, e não tenta imitar um ambiente externo real. Como uma cidade do interior, é uma graça.
O primeiro de seus destaques é o Fiori de Como, ou o "A Escultura de Vidro". É difícil não vê-la: fica no teto, e é coloridíssima! Isso porque a obra de Dale Chihuly é composta por mais de 2 mil flores de vidro presas no teto, representando uma visão de um jardim de primavera italiano modernizado. Psicodélico! A maconha é legalizada em Vegas, mas você não precisa dela pra nada, basta olhar fixamente para o jardim e girar em torno de si mesmo para sentir a maior brisa.

E, depois, seguimos para o Jardim Botânico e Conservatório de Flores ("Bellagio Conservatory and Botanical Garden"). Na minha opinião, o lugar mais bonito, mais agradável e, indubitavelmente, mais cheiroso de Las Vegas. Eu queria ficar lá um tempão, como bem ficamos, a propósito. Eu me arrepio enquanto escrevo isso, realmente gostei de lá.
Uma coisa bacana é que o cenário muda ao longo do ano. Os Jardins são adequados às estações do ano — primavera, verão, outono e inverno —, e são reformulados quadrimestralmente. Além disso, no início do ano, de janeiro até meados de março, é celebrado o Ano Novo Chinês. Quando fomos, estava em vigor a exposição do verão, quando a sala fica dominada pelas belas hortênsias.

Confira no site as datas das estações, e também as datas em que o Jardim está indisponível (pois estão preparando para a próxima estação).

Também o hotel conta com inúmeros museus com exposições de arte, para quem quiser conferir.

Por fim, saímos do hotel e não poderia deixar de mencionar um espetáculo à parte que dispensa apresentações, que são as Fontes do Bellagio. "Mas são só fontes, grande coisa". É. A questão é que são fontes enormes, fodas e lindamente sincronizadas com uma música. O espetáculo automatizado rola de meia em meia hora ou de 15 em 15 minutos. Confira no site oficial os horários.

Paris

Site oficial: https://www.caesars.com/paris-las-vegas

Seguimos, então, para Paris. 🗼 O hotel é fácil fácil de ver porque tem uma réplica da Torre Eiffel do lado de fora, com metade do tamanho da original.
Curiosidade: o hotel deveria ter uma réplica em tamanho real da Eiffel Tower, mas, por conta do aeroporto, que é próximo da Strip, tiveram de reduzir o seu tamanho no projeto.
Dentro do hotel, você verá um enorme cassino ao estilo parisiense, com direito a restaurantes e tudo mais. Consegui a proeza de entrar o banheiro des les femmes, e passei aquela vergonhazinha. Como a parte temática do interior é praticamente toda de cassino, não pude tirar fotos, mas, acreditem, é bonito.

Flamingo

Site oficial: https://www.caesars.com/flamingo-las-vegas

Seguimos então para o Flamingo, um hotel para quem adora a cor rosa dos flamingos, pois ele é todo assim. Os prédios são espelhados e rosados.

O hotel demanda uma visita rápida. Vá até o jardim central, que possui fontes, uma capela, e um lago com flamingos de verdade pra você ver. Como já tínhamos os visto livres na natireza, o que é melhor, no Deserto do Atacama, não foi nada demais.


Treasure Island

Site oficialhttps://www.treasureisland.com/

Na volta para o The Venetian, onde estacionamos, passamos apenas do lado de fora, onde há um barco pirata para tirar fotos. Antigamente, havia uma apresentação ali, mas não há mais. É bonito, de todo modo.

Dia #2:

Las Vegas Sign

Não dá pra deixar de visitar o Las Vegas Sign. Ele fica logo no começo da Strip e tem um estacionamento. Basta estacionar, tirar sua foto e ir embora. Viva las Vegas!

Luxor

Site oficial: https://www.luxor.com/

Outro hotel que você vê de longe é o Luxor — nomeado por conta de uma cidade homônima no Egito —, e isso é graças ao seu prédio, que é uma imponente pirâmide negra. Infelizmente, quando visitamos, estava com uma baita propaganda estampada em si, achei sacanagem, como eles podem ter feito ela ficar feia daquele jeito? Mas, de todo modo, impressionante.


Há também, do lado de fora, um obelisco, um caminho de estátuas e uma esfinge. No interior, ao invés de masmorras, há o hotel e um shopping com lojas, praça de alimentação, fast foods. É uma mistura dos EUA com o Egito, tem que ter charme pra dançar bonito!
De noite, a pirâmide do Luxor tem um charme distinto, que é um intenso feixe de luz que sai de sua ponta, do infinito ao além! O Luxor Sky Beam é, segundo o que dizem, o feixe de luz mais forte do mundo, e pode ser visto em um raio de 443km de distância, se estiver em um avião. Pra se ter ideia, dá pra vê-lo de Los Angeles (não da cidade, mas, sim, de um avião sobrevoando a cidade).

Excalibur

Site oficial: https://www.excalibur.com/

Existe um trem gratuito que liga os hotéis da MGM, então pegamos para o hotel Excalibur. Entregamos e logo senti uma dor forte abdominal, que semanas depois descobriria ser uma apendicite (ainda bem que não virou aguda enquanto eu tava viajando, ufa!!) e a operaria.


O hotel, que leva o nome da espada mística do Rei Arthur, é em formato de castelinho colorido. Parece bem infantil, pra ser sincero. Por dentro, são inúmeras referências medievais. É bonito, mas foi o menos atraente de todos. Compensa dar uma passada rápida.

New York-New York

Site oficial: https://www.newyorknewyork.com

Outro hotel que se vê de longe é o New York, New York, isso porque, em sua frente, você vê uma réplica da Estátua da Liberdade, com metade do tamanho, uma simulação da skyline de Nova Iorque, com os seus inúmeros prédios, como o Empire State, e uma imitação da Brooklyn Bridge.
Além disso, você pode observar uma montanha russa. Sim, você pode andar nela, e é chamada de The Roller Coaster, ou Big Apple Coaster. A entrada é por dentro, e você pode fazer com duas opções. Normal, ou usando óculos de realidade virtual.
Entramos nele por meio de uma ponte que interliga o Excalibur e o New York New York. Logo na entrada, já vimos a loja da Hershey's, a Hershey's Chocolate World.

Andando pelos corredores do hotel, informação óbvia: parece Nova Iorque. Espere, portanto, paredes que imitam os prédios da cidade, com suas escadarias clássicas do lado de fora.
Depois fomos na The Roller Coaster. Eu fui com os óculos de realidade virtual, enquanto a Liliam fez sem — inclusive foi uma promoção fazer desse jeito. Não é muito confortável a Montanha Russa, e ela meio que te machuca um pouco. A experiência em VR é de sair voando por Las Vegas enquanto rola um ataque alienígena. Coisa louca haha. Enquanto isso, a experiência não VR envolve ver Las Vegas de verdade mesmo, afinal... você está em Las Vegas, baby! Escolha o que achar mais interessante.

Saímos do New York New York e fomos de volta para o nosso carro.

The Stratosphere 

Site oficial: https://www.stratospherehotel.com/

Voltamos para o nosso hotel, que era o The Stratosphere, para curtir o que ele tinha para oferecer.

Pois bem, o Stratosphere famoso por sua torre bem alta! No seu prédio principal ficam os quartos, o cassino e as lojas, mas não compensa gastar seu tempo explorando ele, pois digo que foi o mais sem graça que visitamos, não tem nada que impressione por lá.


Compensa, sim, ir para a torre, pois é lá que estão as atrações legais! O que tem pra fazer lá?
  • Curtir um mirante, de onde há uma visão panorâmica e privilegiada de Vegas. 
  • Curtir o restaurante Top of the World.
  • Saltar no SkyJump. Diferente do Bungee Jump, não é um pêndulo — você desce reto. A altura é maior do que se imagina. Quem foi pode confirmar que a alma fica lá em cima e o corpo desce. Haha! 
  • Curtir 3 brinquedos radicais no topo da torre. 
O acesso à torre é pelo prédio principal. Fica no 2° andar, logo acima do cassino. Para subir paga, e para usar os brinquedos paga mais. A entrada do SkyJump é separada.

Por estarmos hospedados no Stratosphere, ganhamos desconto de 50% nos brinquedos. Então compramos um pacote em que poderíamos ir quantas vezes quiséssemos em cada um.

Subimos e fomos direto para o último andar, onde ficam os brinquedos. O elevador vai rápido e chega a dar pressão no ouvido! Ô loco!

Chegamos lá em cima e fomos nos brinquedos. Quase não tinha fila, então fomos várias vezes, mas fomos na seguinte ordem:


Extra: Fremont Street

A gente tava morte de cansaço, mas, e daí? Fomos na Fremont Street conferir o show de painel de led que tem por lá. É uma rua muito louca. A primeira coisa que a gente viu foi umas mulheres vestidas de freiras e com os peitos de fora, então você pode tirar suas próprias conclusões a partir disso. O show de led ocorre de tempos em tempos e é bem interessante. Existem inúmeras variantes dele. Para quem estiver a fim, tem também uma tirolesa.

Dicas

Algumas dicas sobre Las Vegas abaixo.

Como são os preços?

Quanto custa pra visitar os hotéis? Resposta: nada! Você pode entrar neles de graça e fazer tudo o que mostramos nesse vídeo absolutamente de graça — exceto os brinquedos do Stratosphere e andar de Camaro pela rua, claro, haha! 

Além disso, vale informar que alguns estacionamentos de hotéis são de graça, como o do The Venetian, então atente-se a isso. O trem que interliga hotéis da mesma rede, como os da MGM — Luxor, Excalibur e New York New York — são de graça. 

Os hotéis costumam ter praças de alimentação com fast food bons, experimente os diferentes! São, também, baratos. 

Além disso, a hospedagem costuma ser muito barata. Você consegue hotéis a 70 reais a diária, se quiser, e pode gastar relativamente pouco ficando em um hotel bom. 

Como se locomover?

Você pode andar pela cidade de carro, de Uber, ou de trem. Estando na strip, dá pra fazer tudo a pé, e é o que recomendamos! 

É seguro?

Mantenha-se na strip e nos pontos turísticos. Las Vegas é uma cidade de contrastes: na rua principal, hotéis luxuosos, luzes estonteantes, uma loucura. Afaste-se um pouco e ela fica estranha e meio feia em alguns pontos, chega a dar medo.

Shows gratuitos

Esteja atento aos shows gratuitos. No The Venetian, existem shows ao longo do dia na Praça de São Marcos. As fontes do Bellagio também são um espetáculo à parte. O espetáculo Volcano, do The Mirage, também não perde. Na descrição, estão links e informações para você conferir essas atrações!
Logo da S2Station