Logo do S2Station
Background Padrão do Topo

Sky Costanera: Visitando o maior mirante da América do Sul em uma conexão em Santiago

Escrito por -

Um rápido passeio no Sky Costanera, mirante do maior prédio da América Latina, que fica em Santiago, no Chile.

Tremores não abalam

Se me perguntassem onde fica o maior prédio da América Latina, e fosse essa a pergunta valendo 1 milhão de reais, acho que eu ficaria com os 500 mil. Jamais imaginaria, antes de conhecer o Costanera Center, que este seria este o maior, e que seria no Chile, justo o país com mais terremotos desse continente! Quer dizer, pelo menos até o dia em que escrevo esse post! "Tem prédio lá que aguenta?", ah, se tem! Pode abalar as bases, mas não cai! Apesar de que, se eu estivesse no topo do Costanera em momento de terremoto, caso sobrevivesse, teria facilmente de comprar outra cueca logo depois, seria um medo tão intenso que suas consequências iriam até furar o pano.

Mas não tem por que ter medo. O Costanera Center é um prédio comercial e tem altura de 300m, e está vivíssimo. Em comparação, o segundo lugar, o Alvear Tower, de Buenos Aires, tem 235m, e o maior do Brasil, o Millennium Palace, em Balneário Camboriú, tem 177m. Isso em 2018, quando escrevo o post.

O Costanera tem, em seus primeiros andares, um shopping, e, nos superiores, salas comerciais. Claro que os chilenos de bobos não têm nada, e fizeram, no topo, um mirante, o Sky Costanera. E você pode subir nele!

Mini-Guia

Como é o Sky Costanera?

O mirante é acessível por um elevador contido no shopping do Costanera. Pode-se comprar ingressos para ele na bilheteria lá mesmo. A subida chega a dar pressão no ouvido,  em menos de 1 minuto  ele sobe 61 andares, não é pouca besteira!

Lá em cima, você pode andar por dois andares – o primeiro é fechado, enquanto o segundo tem o teto aberto (apesar de que é um teto láá em cima, mas já dá pra fazer sentir frio, dependendo da época).

É impressionante ficar pensando como raios o maior prédio da América Latina está justamente no país com o maior índice de terremotos. Isso só é uma evidência de como os chilenos são evoluídos!

Também é bem interessante observar os morros e os pontos turísticos da cidade lá de cima, sob uma perspectiva diferente. Se tiver sorte e o tempo estiver aberto, vai ver a Cordilheira dos Andes ao fundo.

Como chegar?

A melhor forma de chegar é de metrô. Basta entrar em qualquer estação e, depois, descer na estação Tobalaba.

Se estiver vindo do aeroporto, não existe estação de metrô próxima. Mas existe um ônibus que leva a diversas estações de metrô. Esse ônibus fica logo na saída do aeroporto. Recomendamos descer na estação Pajaritos e seguir até a Tobalaba.

Também sempre tem a opção de pegar um Uber, que sai em torno de 14.000 CLP (aproximadamente R$ 14).

Nós, pessoalmente, fomos de metrô e voltamos, à noite, de Uber.

Dá pra visitar em uma escala em Santiago?

Claro, desde que você tenha tempo! Nós chegamos em Santiago ao fim de uma viagem de uma semana no Atacama. Nosso vôo chegou em torno das 11h da manhã, sendo que o vôo para o Brasil seria pelas 4h da madrugada. O importante era que estivéssemos no aeroporto de volta até 1h da madrugada.

Sempre que a gente tem um tempo assim a gente sai pra fazer alguma coisa específica. Fizemos isso em Doha (veja nosso post) e na Cidade do México (veja nosso post). Compensa.

Quanto custa?

Custa 15.000 CLP, para adultos. É caro.

Você pode conferir os preços atualizados e comprar antecipadamente no site oficial, ou então comprar na hora. Nós compramos na hora.

Quais são os horários?

10:00 a 22:00 Horas, sendo que o último elevador sobe às 21h.

Confira os horários atualizados no site oficial.

Quando ir?

Qualquer época do ano. Contudo, se você tiver como, não vá em um dia nublado ou que tenha fog — uma famosa nuvem de fumaça que tem bastante por lá. Isso porque você vai pagar caro e não vai ver os Andes e, às vezes, não vai ver nada.

Então, se tiver como ser flexível, opte por um dia aberto. Se tiver um dia fixo, vá mesmo assim, pra conhecer, como fizemos. Vai que dá sorte de o tempo abrir!

O bacana também é ir ao entardecer, inclusive para ver a cidade iluminada.

Nossa Experiência

Subida

Chegamos no shopping do Costanera, compramos os ingressos e subimos. Objetivo era ver o entardecer lá em cima e também os Andes. Contudo, o tempo estava mega nublado e, pelo visto, não daria para ver nenhum. Só tínhamos aquele dia, e fomos ali só pra isso, então partiu!

Compramos os ingressos lá mesmo. O shopping em si estava lotado, mas a fila da bilheteria do mirante estava vazia. Subimos. Sentimos a pressão básica no ouvido. Logo já estávamos lá.

Andando pelos andares

O elevador te deixa no primeiro andar. Nele, você tem um ambiente fechado e alguns quadros expostos explicando sobre o mirante e o prédio.

Logo subimos para o segundo andar. Nele, a visão também é por meio do vidro, mas o teto é aberto, então é um pouco frio. Mas é bom.

Paineis mostrando sobre a história do mirante e do prédio!

Vinhos e vinhos

Para a nossa sorte, tava rolando uma degustação de vinhos infinita na torre. E é claro que a gente foi lá pegar um bom de um vinho chileno! Podia pegar o quanto quisesse. A tacinha era bem pequena, mas de pouco em pouco, o pouco vira muito, haha! Adoramos.

Tivemos que fazer esse sacrifício de tomar uns bons vinhos.

Tour

Havia uma funcionária ali que estava dizendo que iniciaria um tour guiado. Como estava incluso, aceitamos participar. O tour consistiu em explicar como e quando a torre e o mirante foram construídos, e dar uma volta 360° em torno do mirante, mostrando os pontos principais de Santiago tal como são vistos do topo. É interessante.

Realmente, por conta do clima nublado, não dava pra ver os andes. Tinha que exercitar habilidades de imaginação e fingir que uma cadeia enorme de montanhas estava no horizonte. Brincar de fazer de conta faz bem!

O teto do segundo andar, que é aberto.


O entardecer mágico

Ocorre que, de repente, olhamos para um lado e vimos o pôr-do-sol. Tipo, ele tava prometendo ser o entardecer mais tosco de todos os tempos, mas, não! Foi lindo, lindo, lindo!

Abandonamos sumariamente a guia do tour antes mesmo de ele terminar e fomos, claro, tirar fotos. Prioridades existem, e a nossa educação está lá embaixo quando o assunto são fotos lindas.

Foi aí que saiu a foto da capa do post. Que replico aqui, porque merece.

Até voltamos e pedidos enormes desculpas à guia, depois. Podemos não ter vergonha na cara, mas temos no coração. Own, fofo. Ela disse que ok, entendia que tinha coisa mais importante acontecendo, haha!

Santiago durante a noite, vista de cima do Costanera.

Las luces de la ciudad soy yo

Assim que a noite caiu, começou, também, a rolar um showzinho acústico mó gostoso composto por um duo, um com sanfona e outro com violino. Tipo, delícia total. Ficamos sentados em um canto, de um lado observando a cidade, de outro a banda, e apreciando um bom vinho.

Em um momento, Liliam falou "ah, vamos dançar", e a gente, que não tem vergonha mesmo, foi na frente da banda e começou a curtir uma dança.

Esses momentos às vezes são tão simples, porém tão memoráveis. Terminamos uma maravilhosa viagem de um jeito perfeito. E eternalizo não só na lembrança, como também nesse blog.

Logo da S2Station