Logo do S2Station
Background Padrão do Topo

Holambra: O que fazer | Dicas de Viagem | Fotos | Roteiro de 1 dia e meio

Escrito por -

Moinho os Povos Unidos, em Holambra, São Paulo.
Roteiro e Dicas de Viagem sobre o que fazer, o que conhecer e onde comer em Holambra, a Cidade das Flores, em São Paulo, próximo de Campinas.

A Cidade das Flores

Holambra é uma cidade fofinha de origem holandesa em pleno estado de São Paulo, de carro há 1h de Campinas e 2h de São Paulo capital. Conhecida como a capital das flores por ser também um polo de floricultura, é junção de Holanda, América e Brasil, e merece pelo menos 1 dia de visita.

O que fizemos em 1 dia e meio? Que dicas temos para dar para vocês? Fiquem com o nosso post!



O vídeo acima é bem curto, de 5 minutos, e fala basicamente sobre as mesmas coisas que esse post, exceto que com filmagens da gente zoando pela cidade e filmando com o drone. Dêem uma olhada! Ah, e se inscrevam no canal se gostarem!

Visitamos em Março de 2019, no feriado de Carnaval.

Índice

Este post possui o seguinte conteúdo:

Dicas

Quantos dias ficar?

A cidade é bem pequena, então basta 1 dia inteiro, ou, no máximo 2 dias, caso queira visitar campos de flores.
Rua de Holambra, em São Paulo.
Em uma rua qualquer, com orelhões em formato de tamanco holandês 
Holambra: Cidade das Flores
É a cidade das flores, certo? Então tem que ter flores!

Como ir?

Para chegar em Holambra, o aeroporto mais próximo é o de Viracopos, em Campinas. Leve seu copo e dê uma viradinha, vai dar certo! De lá, recomendamos alugar um carro e ir. Dura em torno de 1h para chegar.

Como se transportar em Holambra?

Se estiver de carro, então saiba que andar de carro lá é tranquilo.

Se não estiver de carro, ou se quiser uma experiência diferenciada, nos pareceu interessante alugar uma bicicleta. Holambra é muito plana e pequena, então, mesmo que esteja com uma bicicleta normal, não terá de se esforçar muito. Além disso, conhecer a cidade de bicicleta traz uma certa experiência holandesa real, não é? Afinal, lá em Amsterdã, a bicicleta é praticamente o meio de transporte primário. Faltam ciclovias em Holambra, mas o trânsito é tranquilo.
Posando com a bicicleta alugada por outro casal.
Moinho Povos Unidos, em Holambra.
Bicicleta numa lojinha de salgados e doces logo atrás do Moinho Povos Unidos.

Outra opção bacana é alugar um scooter elétrico. Parece super confortável e, se não quiser muito esforço, tá aí uma escolha das boas!

Scooter na Rua Dória Vasconcelos, em Holambra, São Paulo, Brasil.
A tal da scooter.
Você pode alugar tanto a bicicleta quanto o scooter elétrico na Rua Dória Vasconcelos.

Quando visitar?

Holambra pode ser visitada durante todo o ano, porém a época mais interessante é a primavera, em meados de agosto e setembro, quando há mais flores e também a Expoflora, a maior feira de flores do Brasil. Imagino que a cidade também fique pra lá de cheirosa! E cheia também! Se optar pelo verão, entre dezembro e março, tenha em mente que poderá pegar boas chuvas na cidade, como foi o nosso caso.

Nós visitamos em março de 2019, no feriado de Carnaval. É uma boa opção para quem quiser fugir da folia, porque lá é muito tranquilo, nem parece que está no meio do maior feriado do ano! Ainda assim, montaram um palco com shows muito animados, com o local bem monitorado pela polícia, então, ainda assim, se quiser folia, tem, sim! E, no último dia do carnaval, costuma ter o Carnaflores, com pequenos carros alegóricos cheios de flores. Não chegamos a ver, infelizmente!
Moinho Povos Unidos visto de lado, em Holambra, São Paulo.
Sentada no Portal do Moinho.
Flores na frente do Parque Van Gogh, em Holambra, Brasil.
Cheirando umas flores na frente da entrada do Parque Van Gogh.

É possível visitar campos de flores em qualquer época do ano?

Sim. Nós não o fizemos, mas durante todo o ano é possível visitá-los, mas somente por meio de tours de agências de turismo. Não dá pra visitar por conta própria. Em cada época do ano você verá espécies de flores diferentes.

Onde se hospedar?

Pode se hospedar em Holambra mesmo, em um de seus poucos hotéis ou Airbnbs. A cidade é pequena, então, se estiver de carro, basta escolher uma hospedagem em qualquer bairro. Mas dê preferência a locais próximos da Rua Dória Vasconcelos.
Sapatinho no Recinto da Expoflora.
No Recinto da Expoflora, tem esse tamanco para você entrar inteiro nele!
Gazebo na Praça dos Coqueiros, em Holambra, São Paulo.
Um gazebo na Praça dos Coqueiros.

Onde comer? Quais são os bons restaurantes?

Holambra não é tão turística quanto se espera, então, em 2 dias, você já consegue conhecer todos os (excelentes) restaurantes da cidade. Os que visitamos foram os seguintes: Casa Bela, Martin Holandesa, Tratterie Holandesa e a Confeiraria Zoet en Zout. É o suficiente para sair rolando depois loucamente pelas ruas de Holambra!

Em todos os restaurantes, recomendo que peçam as mostardas da Berna para acompanhar. Pessoalmente acho que combinam muito com tudo! Adoro!

Ah, e eu, pessoalmente, optei por pedir linguiça praticamente em todos os restaurantes. Para quem curte uma linguiça, tá aí a oportunidade! Elas são deliciosas lá em Holambra!

Casa Bela

Site oficial: http://www.casabelarestaurante.com.br/
Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Quando chegamos em Holambra, chegamos lá pelas 11h da noite. Um dos únicos restaurantes abertos era este, o Casa Bela.
Mix de Salsichas no restaurante Casa Bela, em Holambra, São Paulo.
Mix de Salsichas.
Bassen Nest, em Holambra, São Paulo.
Bassen Nest, a sobremesa.
Comemos de prato principal um Mix de Salsichas (R$41), que dividimos, acompanhados de molho agridoce (que eu pessoalmente dispensei, mas a Liliam curtiu muito). De sobremesa, experimentamos um Bessen Nest (R$18), uma torta de massas folheada com recheio de baunilha e frutas vermelha, que també dividimos.
Ambiente do Restaurante Casa Bela, em Holambra, São Paulo.
O ambiente do Restaurante Casa Bela, do lado de fora.
Entrada do Restaurante Casa Bela, em Holambra, São Paulo.
Entrada para a parte interna do restaurante Casa Bela. Destaque para o pé de jabuticaba.

Martin Holandesa

Site oficial: http://martinholandesa.com.br/
Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Almoçamos no restaurante Martin Holandesa. É um dos mais tradicionais da cidade e acho que não dá pra visitar Holambra sem conhecê-lo. Eu peguei um Hot Dog Holandês Didan (R$38), enquanto Liliam experimentou um Pannenkoeken 2016 (R$29,90), de Batata Rosti, Bacon, Queijo Gouda e Prato, que é um prato típico holandês maravilhoso. Também pedimos um suco de polpa de frutas vermelhas de R$8,50, que Liliam amou, e uma Scheppes Citrus de R$6.
Pannenkoeken, no Martin Holandesa, em Holambra, São Paulo.
O tal do Pannenkoeken.
Hot Dog alemão do Martin Holandesa, em Holambra, São Paulo.
Hot Dog alemão.
O restaurante Marin Holandesa também conta com uma confeitaria, onde você pode comprar docinhos e tortas deliciosas. Se não engordar alguns quilos, tá errado!

Tratterie Holandesa

Site oficial: https://tratterieholandesa.com.br/
Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Jantamos no restaurante Tratterie Holandesa. O restaurante é lindo, com várias bandeiras penduradas no teto, que o atendente nos explicou terem sido todas presentes de fregueses internacionais. Chique, não? Pois é.
Stamppot do Tratterie Holandesa, em Holambra, São Paulo.
Stamppot do Tratterie Holandesa.
Carpaccio de Filé Mignon, em Holambra, São Paulo.
Carpaccio de Filé Mignon.
Mas ninguém come bandeira, né? Quer dizer, não pessoas normais. Se você come bandeira, foi mal. Não queria ser preconceituoso. Então vamos falar sobre a comida! De entrada, pedimos um Carpaccio de Filé Mignon (R$29,50). Liliam pediu um caldo de carne e legumes holandês com pães e queijo (R$12,25), enquanto eu peguei um Stamppot com molho madeira (R$47,50), um prato típico holandês com purê de batatas e linguiça.

Confeitaria Zoet en Zout

Site oficial: http://zoet-en-zout.com.br/
Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Por fim, finalizamos com um lanche na Confeitaria Zoet en Zout, muito tradicional na cidade. Visitamos quando estávamos saindo da cidade, no outro dia, de manhã. Ela tem uma bela vista da Lagoa Vitória Régia, e as coisas lá são realmente gostosas.
Torta folheada de frutas e carpaccio, em Holambra, São Paulo.
Torta folheada de frutas e capuccino.
Capuccino no Zoet en Zout, em Holambra, São Paulo.
Não estava frio, mas a vontade de tomar o capuccino era maior.
Lanchamos cappucino Gelado, um folheado de palmito e carne, um sorvete de rosas e stropwoffer, e uma torta folheada de frutas.

Sim, você leu certo, nós comemos um sorvete de rosas. Sim, dá pra comer flores! Devo dizer que achei delicioso.

Roteiro

Dia 1: Conhecendo a Cidade

Pórtico de Holambra

Ponto no GPS: Google Maps, Waze
Começamos visitando o grande pórtico de Holambra, logo na entrada. Nele, a marcação diz: 1948, a data de fundação da cidade. Como se vê, o pórtico é belíssimo, e, dos que visitamos no Brasil, um dos maiores. Normalmente são baixinhos. Esse é bem alto!

Portal de Holambra, em Holambra, São Paulo.
O belíssimo Pórtico de Holambra.
Tivemos que ir no pórtico logo durante a manhã, porque, embora tenhamos chegado na noite anterior, entramos em uma entrada da cidade sem o pórtico, e foi uma quebra de expectativa das grandes, haha!

Memorial do Imigrante

Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Seguimos na rua e visitamos o Memorial do Imigrante, composto por essas duas estátuas de imigrantes holandeses!

Duas estátuas no Memorial do Imigrante, em Holambra, São Paulo.
As duas estátuas dos imigrantes no Memorial do Imigrante.

Moinho Povos Unidos

Site oficial: https://moinhopovosunidos.weebly.com/
Ponto do GPS:  Google Maps, Waze
Preço: R$10 inteira, R$5 a meia para estudante

E aí fomos direto para o grande cartão-postal da cidade, que é o Moinho Povos Unidos. Como poderia uma cidade de origem holandesa não ter um moinho, justo a coisa que mais nos remete à Holanda? Tem, sim! E o moinho é de respeito!
Moinho Povos Unidos visto de frente.
Moinho Povos Unidos visto de frente.
Moinho Povos Unidos visto de trás, em Holambra, São Paulo.
Moinho Povos Unidos visto de trás.
Ele é bem maior do que eu imaginava, e pra lá de belo. Fica em uma bela praça. Nosso objetivo era mesmo conhecer o moinho, que, pra nossa sorte, estava aberto a visitação paga. São 10 andares, dentre os quais 6 visitáveis. Subimos por escadas íngremes, e em cada andar havia peças para exposição, seja sobre os moinhos do mundo, os moinhos da Holanda e, por fim, sobre o Moinho Povos Unidos. Isso torna a subida bem interessante, caso você fique com alguma preguicinha de subir!
No topo do Moinho Povos Unidos, em Holambra, São Paulo.
Numa janelinha lá em cima, no Moinho Povos Unidos.
Timão para inverter a direção das hélices do Moinho Povos Unidos, em Holambra, São Paulo.
Esse timão serve para mudar a direção das hélices do moinho.
Parte interna do Moinho Povos Unidos, em Holambra, São Paulo.
Parte interna do moinho.
Lá em cima, você por sair para a parte externa, de onde se consegue ver as hélices de pertinho, dá até uma agonia! Parece que ele vai bater na gente, haha! E tem uma boa vista lá de cima, também. Compensa subir para apreciar.

Este foi, sem dúvidas, o moinho mais legal que vimos. E ainda não visitamos a Holanda!
Dica: é na praça do Moinho que você vai achar as agências de turismo que te levam para campos de flores. Nem precisa procurar. Vão atrás de você, com certeza, oferecendo o passeio. Haha!
Do lado, tem também o Portal do Moinho, que merece sua atenção também.

Rua Dória Vasconcelos

Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Fomos, então, até a principal rua turística de Holambra, a Rua Dória Vasconcelos, que é justamente onde você encontrará casas coloridinhas ao estilo holandês. Não é muito grande, mas é bonita e com vários restaurantes e lojinhas para você comprar lembranças!
Rua Dória Vasconcelos, em Holambra, São Paulo.
A Rua Dória Vasconcelos.
Rua Dória Vasconcelos, em Holambra, São Paulo.
Casinhas fofas na Rua Dória Vasconcelos.
É aqui que você também vai encontrar aluguel de bicicleta e scooter elétrico.

Recinto da Expoflora

Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Passamos, então, pelo Recinto da Expoflora, onde ficam essas casas coloridas altas e onde ocorre todos os anos, em meados de agosto e setembro, a Expoflora, a maior feira de flores do Brasil, atraindo muitos turistas.
Recinto da Expoflora, em Holambra, São Paulo.
As famosas casinhas coloridas do Recinto da Expoflora.
Recinto da Expoflora, em Holambra, São Paulo.
Um outro ângulo das casinhas coloridas do Recinto da Expoflora.
Não havia loja aberta, mas pudemos tirar várias fotos, que saem lindas por lá.
Casas coloridas no Recinto da Expoflora, em Holambra, São Paulo.
Mais casinhas coloridas.
Recinto da Expoflora, em Holambra, São Paulo.
Uma árvore-moinho.


Museu de Holambra (Museu Histórico de Holambra)

Site oficial: http://www.museuholambra.com.br/
Ponto no GPS: Google Maps, Waze
Preço: R$3 por pessoa, R$2 para estudante

Partimos, portanto, para o Museu de Holambra.

Ele possui uma parte fechada com fotos, filmes e objetos que contam a história da cidade e da imigração holandesa por lá. É muito interessante.
Boneco de imigrante alemão no Museu de Holambra.
Um holandês típico...
Boneca de imigrante holandesa no Museu de Holambra.
... e uma holandesa típica!

A parte externa conta com réplicas de casas do estilo da época, o que inclui, por exemplo, até mesmo uma casa de pau-a-pique. Há também maquinários e tratores antigos.
Cozinha de imigrantes ricos, no Museu de Holambra.
Uma cozinha de imigrantes holandeses ricos.
Parte externa do Museu de Holambra.
Parte externa do Museu de Holambra.
Durante toda a nossa visita, um senhorzinho imigrante holandês nos atendeu e foi nos contando altas curiosidades sobre a Holanda e sobre Holambra também. Pensa numa pessoa simpática. Extremamente simpática. Fez a gente querer comprar passagens para conhecer o país dele imediatamente!
Uma réplica de uma casa de um holandês imigrante, no Museu de Holambra.
Uma casa de um holandês imigrante.
Casa de pau-a-pique no Museu de Holambra.
Casa de pau-a-pique.
Entrada do Museu de Holambra.
Entrada do Museu de Holambra.
Tratores no Museu de Holambra.
Tratores no Museu de Holambra.

Garden Center Cidade das Flores


Seguimos, então, para o Garden Center, esse mercadão de flores. Tem de todo tipo. Ótimo para quem quiser comprar, pois é barato, ou se simplesmente quiser ver bastante flor.
Flores no Garden Center, em Holambra, São Paulo.
Muitas flores no Garden Center!
Garden Center, em Holambra, São Paulo.
Gostamos desse cantinho verde.
Garden Center, em Holambra, São Paulo.
O Garden Center tem flores muito baratas!
Fachada do Garden Center, em Holambra, São Paulo.
A entrada do Garden Center.

Praça dos Pioneiros

Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Demos uma passadinha na Praça dos Pioneiros, com casas típicas e bela jardinagem.
Praça dos Pioneiros, em Holambra, São Paulo.
Praça dos Pioneiros e sua bela jardinagem.
Praça dos Pioneiros, em Holambra, São Paulo.
Fonte da Praça dos Pioneiros.

Praça dos Coqueiros

Ponto no GPS: Google Maps, Waze

No outro dia, passamos na Praça dos Coqueiros, onde há um letreiro de Holambra. Quem não tem uma tara secreta por fotos nesses letreiros de cidades que atire a primeira pedra, haha!
Uma ponte na Praça dos Coqueiros, em Holambra, São Paulo.
Uma ponte na Praça dos Coqueiros.
Letreiro de Holambra, na Praça dos Coqueiros, em Holambra, São Paulo.
Letreiro típico do "Eu Amo Holambra". Tem que tirar foto!
É uma praça bonita com um lindo gazebo e também uma ponte. Um prato cheio pra quem curte tirar fotos.

Parque Van Gogh

Ponto no GPS: Google Maps, Waze

Logo do lado tem também o Parque Van Gogh. É um parque pequeno, porém lindíssimo! Possui uma calçada com várias réplicas de pinturas do ilustríssimo pintor holandês Van Gogh! Os pinheiros dão um clima agradável para o lugar. E não poderia faltar Noite Estrelada, é a minha pintura favorita!
Entrada do parque Van Gogh, em Holambra, São Paulo.
Entrada do Parque Van Gogh.
Réplica do quadro Noite Estrelada, no Parque Van Gogh, em Holambra, São Paulo.
Uma réplica da pintura Noite Estrelada no Parque Van Gogh.
O parque fica na orla do Lago do Holandês, onde existem, também, lindas cabanas. É um lugar para apreciar a natureza em harmonia com as obras humanas.

Destaque para as placas da cidade, todas em formato de flor!
Parque Van Gogh, em Holambra, São Paulo.
Sentados no Parque Van Gogh.
Casinhas no Parque Van Gogh, em Holambra, São Paulo.
Uma das casinhas do Parque Van Gogh.


Lago Nossa Prainha e Lago Vitória Régia, com o Deck do Amor

Também passamos pelo lago Nossa Prainha, que tem essa ponte, e também pelo Lago Vitória Régia, onde há o Deck do Amor com os cadeados.

Lago Nossa Prainha, em Holambra, São Paulo.
Lago Nossa Prainha.


Logo da S2Station